O ministro-chefe da Casa-Civil do governo de Michel Temer, Eliseu Padilha, é uma das pessoas que não apoia o juiz federal Sérgio Moro nos trabalhos realizados pela Operação Lava Jato, mesmo em certos momentos, ele negando isso.

Nesta última semana, ele foi flagrado curtindo um post de Leonardo Boff, petista que tentava ofender a reputação do juiz responsável pela Lava Jato.

Padilha tentou minimizar o fato e levou tudo em tom brincadeira, porém, de uma forma irônica. Ele escreveu que tem uma filhinha de três anos que mexeu no celular dele e acabou curtindo o post do petista, mas que já havia corrigido isso e sorriu.

Os internautas não perdoaram uma grande falha do ministro em relação aos castigos dele com a Língua Portuguesa.

Ele escreveu mexeu da seguinte forma: "mecheu". O ministro, que queria ser engraçado, acabou sendo vítima da sua própria graça.

Raiva

O juiz Sérgio Moro tem sido ofendido e atacado por muitos políticos que não concordam com as investigações. Eles se sentem ameaçados e buscam partir para cima do juiz para tentar causar pressões e levar as pessoas a detestá-lo. Um dos exemplos é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está engasgado com Moro.

O presidente Michel Temer [VIDEO] também já mostrou antipatia pelo juiz ao não aplaudi-lo durante uma entrega de prêmio da Revista Isto É.

O italiano Antonio Di Pietro, um dos responsáveis pela Operação Mãos Limpas ocorrida na Itália e que serviu de inspiração para a Lava Jato [VIDEO], disse que Moro deverá ter muito cuidado com os ataques dos políticos.

Eles vão tentar a todo momento mudar o foco de acusador para acusado. O italiano afirmou ter passado pelos mesmos problemas. O objetivo principal dos investigados e condenados é tentar levar a população contra o juiz e, depois de algum tempo, voltar tudo para a estaca zero.

Corrupção

Os políticos investigados temem o juiz Sérgio Moro pelo seu rigoroso empenho no combate à corrupção. Para a grande maioria deles, é preferível cair nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF) do que nas mãos de Moro.

Di Pietro falou que os corruptos tentam atacar o magistrado para que saiam do foco dos esquemas de corrupção. São estratégias e manobras montadas que buscam visar interesses próprios.

O promotor italiano chegou a dizer que o culparam pelo País ficar pior do que antes das investigações. Moro sofrerá ainda muitos ataques, pois mexeu com políticos poderosos, como o ex-presidente Lula.