A presidente e ministra do Supremo Tribunal Federal (#STF), #Cármen Lúcia, decidiu expor sua indignação com um possível novo entendimento da Corte sobre a prisão de condenados em segunda instância. Ela deixou claro que esse assunto não está na pauta do STF, pelo menos nos próximos meses e falou que o Supremo não pode se apequenar diante do processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Lula teria esperanças de que ministros da Corte mudassem o entendimento sobre a prisão em segunda instância para que ele pudesse se ver livre da cadeia.

Numa postagem do site "O Antagonista", foi declarado que Cármen Lúcia teria recebido um grande apoio contra as inúmeras pressões que eram feitas para que ela colocasse em julgamento essa mudança no entendimento da Corte sobre os condenados e assim ajudasse Lula.

As Forças Armadas estariam apoiando a ministra a não colocar em pauta esse assunto e nem revisar a Lei da Ficha Limpa. Numa declaração recente do #general Mourão, ele já havia falado que o Exército não toleraria um criminoso no poder e a lei deveria ser cumprida.

Recado aos petistas

Membros do PT estão revoltados com o Judiciário e realizando vários tipos de ameaças, como por exemplo, o de não cumprir as determinações da Justiça em relação à condenação de Lula. O PT afirma que Lula, mesmo preso, será o candidato deles nas próximas eleições.

Cármen Lúcia pode ter deixado um recado aos petistas [VIDEO]. Ela falou que nada será alterado apenas para ajudar o ex-presidente, ou seja, o Supremo não vai se curvar diante de um caso específico.

A ministra também disse que não conversou com os ministros do STF sobre esse assunto, pois eles estão em recesso e esse entendimento da corte sobre a condenação em segunda instância foi tomado há poucos meses, portanto, não há intenção de mudar novamente isso.

STF

Um ponto, porém, tem sido levantado em questão. Lula teria a esperança de que algum ministro pudesse ter uma decisão monocrática e dar a ele um habeas corpus.

A situação do petista é muito delicada. Lula teve a sua condenação aumentada para 12 anos e um mês de prisão e foi unânime. A defesa do petista poderá apenas pedir esclarecimentos sobre a sentença, mas ela não poderá ser mudada.

Lula também é alvo da Lei da Ficha Limpa. Surgem rumores de que o STF poderia alterar a Lei para beneficiar o ex-presidente, mas no que depender da presidente Cármen Lúcia [VIDEO] isso não vai acontecer.