Anúncio
Anúncio

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, decidiu dar um prazo de cinco dias para que o Ministério Público Federal (MPF) se manifeste sobre o assassinato de um empresário que passou informações importantíssimas para os investigadores da Lava Jato.

José Roberto Soares Vieira foi morto com nove tiros no dia 17 de janeiro. Ele foi um dos responsáveis em entregar à Justiça o esquema corrupto cometido pelo ex-gerente da Transpetro, José Antonio de Jesus. Vieira foi morto em uma emboscada na Região Metropolitana de Salvador.

De acordo com o magistrado, existe uma forte tendência de que a morte dele possa estar relacionada com a ação penal. Moro afirmou que o empresário assassinado revelou detalhes importantes sobre ele e outros envolvidos em fraudes. Sua morte poderia ser um aviso para outros que ainda sabem de informações preciosas para a operação.

Anúncio

Crime

O empresário foi assassinado na cidade de Candeias, no dia 17 de janeiro. Ele prestou depoimento à Polícia Federal em novembro do ano passado na 47° fase da Lava Jato. Conforme suas informações, o seu ex-sócio, José Antonio de Jesus, recebia propina de empresas subsidiárias da Petrobras sem que tenha prestado qualquer serviço.

Os investigadores da Lava Jato suspeitaram, na época, que José Antonio e sua família teriam cometidos irregularidades e receberam uma quantia milionária da empresa NM Engenharia.

Através do depoimento dado por Vieira, o Ministério Público conseguiu rastrear pagamentos de R$ 2,3 milhões que iam diretamente para o ex-gerente da Transpetro. A sua prisão acabou sendo passada de temporária para preventiva até que as investigações concluam o processo.

Anúncio

Investigações

Sérgio Moro se mantém firme nas investigações e terá pela frente um trabalho árduo. Nos últimos dias, ele foi atacado por vários membros do PT que não concordaram com a condenação do ex-presidente Lula.

O juiz prepara novas provas que poderão envolver a família do petista. Investigadores descobriram patrimônio irregulares, negócios particulares e vários outros detalhes que podem levar Lula a ter mais uma grande dor de cabeça.

A corrupção que se evidência no petista pode ter se espalhado pela sua família e vários caminhos traçados pelo ex-presidente tem rastros de seus familiares.

Testemunhas reveladoras surgiram e trouxeram novos rumos às investigações. Lula terá muitos interrogatórios pela frente.

Anúncio