A oitava turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região agendou o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Lula) para esta quarta-feira, dia vinte e quatro de janeiro de 2018. No julgamento, o tribunal pode optar por manter a condenação proferida pelo juiz federal da 13ª vara federal de Curitiba - PR [VIDEO], o juiz Sérgio Moro ou absolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Pode ainda reduzir a condenação ou aumentá-la.

Transmissão ao vivo

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região chegou a fazer reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia. Segundo divulgado na imprensa, para buscar, dentre outras questões, a autorização para transmitir o julgamento do recurso na TV Justiça, canal de televisão disponibilizado para divulgar 'ações' do poder judiciário e mantido pelo poder judiciário.

Porém, com a negativa, segundo divulgado na imprensa, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sob a alegação de dar ampla publicidade ao julgamento, que tem, obviamente, grande repercussão nacional, optou por transmitir o julgamento em seu canal no YouTube, confira o vídeo:

O julgamento estava marcado para as oito horas e trinta minutos, e não há previsão de horário para ser concluído.

Placar do julgamento

Uma das grandes expectativas no julgamento para os simpatizantes do ex-presidente Lula é que, caso seja mantida a condenação (o que é bem provável), tendo em vista que foi divulgado que o voto do relator pode ser para 'manter a condenação' do ex-presidente Lula (já que reverter a sentença poderia tirar a credibilidade do juiz Sérgio Moro, que é próximo ao relator).

Assim, ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Lula) seja condenado (mantida a condenação) a expectativa é que seja com placar de dois a um, uma vez que, neste caso [VIDEO], a defesa poderá, além de ingressar com embargos de declaração, embargos infringentes, o que pode adiar a decisão final no TRF e, com isso, possibilitar que o ex-presidente Lula seja candidato à presidente da república, conforme foi divulgado pelo próprio ex-presidente, que disse ter intenção de ser pré-candidato.

Pedidos da defesa

A defesa de Lula pediu o reconhecimento da incompetência do juízo, suspeição do juízo, suspeição dos membros do Ministério Público Federal, absolvição por falta de provas, reconhecimento da prescrição, dentre outras questões.