Uma notícia bombástica pegou o círculo político de Brasília de surpresa na tarde desta sexta-feira, 19 de janeiro. O ex-presidente Fernando Collor de Melo [VIDEO], do PTC, anunciou que será candidato à presidente nas Eleições de 2018, marcadas para o mês de outubro. Atualmente o político exerce o cargo de senador da república pelo estado de Alagoas.

De acordo com o anúncio do próprio ex-presidente [VIDEO], durante entrevista para uma rádio local de Ararapira, em Maceió, o fato de já ter exercido o cargo anteriormente lhe traria uma grande vantagem durante as eleições. “Já fui presidente uma vez e todos sabem como eu penso e ajo”, disse o político.

Vale lembrar que Fernando Collor já esteve no cargo máximo do poder executivo do Brasil, entre os anos de 1990 e 1992, quando se tornou o primeiro presidente da república a sofre impeachment, dando lugar a Itamar Franco.

Naquela época, há 28 anos, o governo de Collor anunciava o confisco dos valores depositados nas cadernetas de poupança de milhões de brasileiros. A medida foi tomada pelo presidente logo depois da sua posse e causou perplexidade e revolta em todo o Brasil. Como punição, o ex-presidente foi obrigado a se afastar da vida política, ficando inelegível durante 8 anos.

Anos mais tarde, Fernando Collor voltou a disputar uma eleição, tendo sido eleito senador em 2006, governador de Alagoas em 2010 e, novamente, senador da república em 2014.

Collor na Lava Jato

Atualmente o ex-presidente Collor é réu na operação Lava Jato, quando foi denunciado em agosto de 2017 pela Procuradoria Geral da República pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa.

Ele é acusado de receber R$ 29 milhões em propina por uma suposta influência política na BR distribuidora, empresa que é subsidiária da Petrobras. Recentemente o atual senador teve diversos bens apreendidos durante uma operação da Polícia Federal, como carros de luxo, entre eles uma Ferrari, uma Lamborghini, um Rolls Royce e uma lancha, bens avaliados em aproximadamente R$ 8 milhões.

Collor acusado de Magia Negra

A ex-esposa do senador Fernando Collor, Rosane Collor, acusou o ex-presidente de ser um praticante de rituais magia negra, tendo inclusive realizado trabalhos enquanto era presidente da república. De acordo com ela, durante uma entrevista ao programa Fantástico, animais eram sacrificados durante os trabalhos realizados pelo político, com a participação de assessores mais próximos.