O senador José Serra (PSDB) está andando em corda bamba devido às investigações [VIDEO] da Polícia Federal. No último dia 15 de dezembro, o empresário Joesley Batista prometeu encrencar o senador com revelações surpreendentes envolvendo milhões de reais. Durante delação premiada, Joesley contou que Serra lhe pediu a quantia de R$ 20 milhões para campanha política em meados de 2010. Na época, o senador era candidato à presidência da República. No entanto, o valor milionário foi repassado de diversas formas, inclusive através de caixa dois eleitoral.

Segundo o depoimento do dono da empresa JBS, um amigo de Serra, Luiz Fernando Furquim, foi o responsável por fazer a mediação de caixa dois ao político.

O que intriga a Policia Federal é que as declarações de Joesley podem não estar corretas, já que Furquim faleceu em 2009, sendo impossível ele intermediar o caixa dois em 2010. Ao saber das acusações, o senador negou e disse que nunca fez tratativas de caixa dois para suas campanhas.

Conforme o andamento das investigações, José Serra se mostra muito abatido. Documentos repassados pela construtora Odebrecht para o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) apontam sistema de cartel em obras em São Paulo. Observando sua situação se complicar aos poucos, Serra já falou para amigos mais próximos que não irá se candidatar para governador do Estado na próxima campanha. Mudando os planos, Serra diz que deseja se candidatar para a Presidência do Senado Federal. Para justificar as rápidas mudanças, o senador atribui a fragilidade de sua saúde ao novo rumo tomado na política.

Imagens perigosas

Durante delação premiada de Joesley, o dono da JBS afirmou ter imagens de José Serra circulando na empresa. Para comprovar suas falas, o empresário afirmou que tem imagens de câmeras que incriminam o senador em 2010, quando Serra o teria procurado para receber a propina de R$ 20 milhões.

Joesley deixou claro que poderá entregar as provas para os investigadores da Polícia Federal, prejudicando certeiramente José Serra.

Investigação sobre Cartel em SP

Além de José Serra, os ministros Aloysio Nunes e Gilberto Kassab participam da investigação do Supremo Tribunal Federal (STF). Desde abril de 2017, a Procuradoria-Geral da República [VIDEO] investiga o envolvimento de Serra e Aloysio em cartéis de São Paulo.

Ao que tudo indica, os políticos conseguiram vantagens indevidas na construção do Rodoanel Mário Covas. Gilberto Kassab teria se beneficiado no Programa de Desenvolvimento do Sistema Viário Estratégico Metropolitano de São Paulo em esquema de cartel.