Um novo nome começa a surgir entre os tantos pré-candidatos já anunciados [VIDEO] para a disputa da Presidência do Brasil nas Eleições de 2018. Trata-se do famoso economista e atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que teoricamente é um dos aliados do atual presidente, Michel Temer.

Desde o início do ano, surgiam especulações de que o ministro poderia ocupar a vaga do PSDB ou até mesmo de outros partidos. Agora, a informação foi confirmada pelo próprio Meirelles, que concedeu entrevista à Rádio CBN nessa quinta-feira (22).

O ministro fez duas revelações esclarecedoras: não vê problemas em concorrer contra Temer, nome forte do MDB, e já pensa há algum tempo na possibilidade.

O economista, que foi presidente do Banco do Brasil entre 2003 e 2011, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] e parte do governo de Dilma Rousseff, ambo do PT, é considerado um dos grandes nomes da economia brasileira.

Em seu currículo está os 28 anos trabalhados para o BankBoston, aonde chegou a ser presidente internacional. Por conta da sua trajetória, o próprio Meirelles garante que é a pessoa ideal para tomar conta do país, ainda mais em momento de crise política e econômica.

No entanto, para concorrer, ele deixou claro que ainda analisa algumas questões. Primeiro, o ministro afirma que quer contar com uma boa estrutura do partido e quer saber quanto tempo terá de propaganda na televisão. O possível candidato considera muito importante essas questões.

Como se sabe, Meirelles é filiado ao PSD, que ensaia uma coligação com o PSDB ao governo de São Paulo.

Por isso, ele aparece como o novo nome forte dos tucanos, que já teve em vista o apresentador Luciano Huck e o atual prefeito de São Paulo, o empresário João Doria.

Outra questão levantada e também esclarecida pelo possível candidato é uma eventual candidatura de Michel Temer. O ministro garante que não vê problemas nisso e que seria bom, pois daria mais opções para a população brasileira.

No entanto, ainda não se sabe o que o outro lado dessa disputa pensa sobre isso. O atual presidente ainda não comentou a entrevista do ministro.

Meirelles também afirmou que não anunciará nada oficialmente ou começará campanha enquanto for ministro. Mesmo assim, já levantou uma das questões que levará se for candidato à presidência. Na entrevista, comentou que acha importante a reforma da Previdência, que precisa ser aceita logo.

O ministro disse que o impacto seria muito positivo para o Brasil, ainda mais que, de acordo com ele, a economia está voltando a aquecer e os empregos podem voltar a aparecer para a população ainda este ano.