A votação da #Reforma da Previdência segue sendo um calo no sapato do governo de Michel Temer [VIDEO]. Apesar do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia [VIDEO] (DEM-RJ), ter marcado para o dia 19 de fevereiro a votação em primeiro turno do projeto, Temer quer garantias. O presidente disse que ainda precisa sentar com o chefe da Casa Legislativa para confirmar a data. O Planalto não pretende colocar o projeto em votação correndo o risco de derrota.

Em entrevista ao Estadão na última quinta-feira (1º), o peemedebista afirmou que tem uma prazo de duas a três semanas para insistir e conseguir os 308 votos necessários para aprovar a reforma em primeiro turno na Câmara.

Para completar o raciocínio de Michel Temer, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que se a reforma não for votada ainda neste mês de fevereiro, o governo não ficará nessa ofensiva indefinidamente.

Michel Temer fez um tour pelo SBT na última semana e defendeu a reforma da Previdência nos programas de Silvio Santos e Ratinho. Na sexta-feira (2), foi a vez do jornal da RedeTV! servir de palanque para o peemedebista e sua proposta.

Curiosamente, Carlos Marun, secretário-geral de governo, era o responsável pela articulação dos votos a favor da reforma e constantemente aparecia na mídia para tratar sobre o assunto. Quando o governo percebeu que o problema era maior do que previa, Temer resolveu assumir pessoalmente a negociação e defesa. Marun foi escanteado para comentar sobre o caso de Cristiane Brasil na Justiça.

#Dentro da política