Os partidos políticos acharam uma nova mina de ouro para engordar seus cofres. O Fundo Partidário criado pelo Legislativo Federal é o novo alvo. Os R$ 888 milhões que serão liberados para financiar as campanhas eleitorais desse ano, mais o R$ 1,7 bilhão que ainda será repassado, estão criando atrito entre os partidos maiores e menores. Os três maiores partidos do País, PT, MDB e PSDB [VIDEO], acusam partidos do Centrão, como PP, PR e PSD, de estarem fazendo leilão com políticos que não tem tanto dinheiro para financiar suas campanhas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

O objetivo é atraí-los neste mês de março, quando é possível realizar a última troca de partido antes das eleições de 2018.

Segundo matéria do jornal 'O Globo', os partidos menores estão garantindo R$ 2,5 milhões para cada deputado que troque de partido.

O objetivo é montar a maior bancada possível e ter uma fatia ainda mais voluptuosa do Fundo Partidário.

A crítica dos partidos maiores é que eles não podem disponibilizar esse dinheiro para campanhas, pois apenas uma pequena parte ficaria com o diretório nacional, todo o resto seria distribuído entre os estados. Eunício Oliveira, que antes de ser presidente do Senado era tesoureiro do MDB, afirmou que apenas 10% do valor recebido pelo partido fica com o diretório nacional.