Quando assumiu à Presidência da República [VIDEO], Michel Temer [VIDEO] prometeu cortar ministérios e diminuir o gasto com pessoal do governo federal. Ao invés disso, prepara um arroxo financeiro na sociedade com diversas reformas, como trabalhista e previdenciária. Já pelos cofres do governo, homens milionários ficam cada vez mais ricos. É o caso de ministros do peemedebista. Alguns dos homens mais ricos do País, com salários de mais de R$ 30 mil, recebem auxílio moradia e vale-alimentação, por exemplo.

Segundo levantamento feito pela Folha de S. Paulo, alguns ministros que encabeçam o governo recebem uma 'bolsa milionário'.

O caso mais destacado fica por conta do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A revista Forbes, em levantamento realizado em 2015, estimou que o chefe da pasta tem um patrimônio estimado em US$ 1,2 bilhões. Ele é considerado o segundo político mais rico do Brasil. De forma comparativa, Maggi declarou à Justiça Eleitoral em 2010 que seu patrimônio era de R$ 143,3 milhões.

O salário do ministro da Agricultura é o teto do funcionalismo público federal, R$ 33.763,00. Mesmo com tanto dinheiro recebido e acumulado, Maggi ainda possui o benefício de ganhar um apartamento funcional em Brasília, por ter sido eleito senador, e vale alimentação no valor de R$ 458.

Outro caso que chama atenção é do novo ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que entrou no cargo após o desembarque do PSDB do governo e a consequente saída de Bruno Araújo da chefia da pasta.

Baldy é outro que ganha o teto do funcionalismo público, R$ 33.763,00. Também tem direito a um apartamento funcional por ser deputado federal licenciado.

O patrimônio declarado do ministro das Cidades é de R$ 4,2 milhões, em 2014. Curiosamente, em 2016, Baldy adquiriu um apartamento no valor de R$ 7,6 milhões. A Folha de S. Paulo entrou em contato com o deputado licenciado e questionou sobre o apartamento funcional. A assessoria do ministro declarou que o apartamento vinha sendo usado como suporte para suas atividades parlamentares, porém, "já acredita ter sido entregue para a Câmara". O jornal solicitou um posicionamento da Casa Legislativa, que informou a não devolução ainda do imóvel.

Cabeças do governo

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda e principal responsável pela reforma da Previdência, é outro político do governo de #Michel Temer cheio de benefícios. Com salário de R$ 30.934,70, também ganhavam auxílio moradia na casa de R$ 7.733,68. O ministro decidiu parar de receber o benefício em outubro do ano passado, quando seu nome surgiu em pauta para concorrer à Presidência da República.

A última vez que Meirelles divulgou publicamente seu patrimônio foi em 2002, quando concorreu ao cargo de deputado federal. Naquela época, ele possuía R$ 45 milhões declarados.

O investigado e braço direito de Temer, ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, tem uma situação parecida com Meirelles. Com salário de R$ 30.934,70, Padilha recebe um auxílio moradia de R$ 7.260,00 e vale-refeição de R$ 458. O patrimônio declarado do ministro é de R$ 2,7 milhões, em 2010.

Respostas

A Folha de S. Paulo entrou em contato com os ministros para obter seus posicionamentos. Alexandre Baldy afirmou que utilizava o apartamento funcional enquanto era deputado. Agora, como ministro, não vê mais necessidade. Já Blairo Maggi disse que não tem apartamento próprio em Brasília, por isso utiliza o funcional. Henrique Meirelles disse que abriu mão por vontade própria do benefício. E completou que, enquanto recebia, utilizava o auxílio moradia para ajudar a pagar o aluguel. Eliseu Padilha resumiu sua resposta a dizer que cumpria a legislação vigente. #Dentro da política