Quando assumiu à Presidência da República, Michel Temer prometeu cortar ministérios e diminuir o gasto com pessoal do governo federal. Ao invés disso, prepara um arroxo financeiro na sociedade com diversas reformas, como trabalhista e previdenciária. Já pelos cofres do governo, homens milionários ficam cada vez mais ricos. É o caso de ministros do peemedebista. Alguns dos homens mais ricos do País, com salários de mais de R$ 30 mil, recebem auxílio moradia e vale-alimentação, por exemplo.

Segundo levantamento feito pela Folha de S. Paulo, alguns ministros que encabeçam o governo recebem uma 'bolsa milionário'. O caso mais destacado fica por conta do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A revista Forbes, em levantamento realizado em 2015, estimou que o chefe da pasta tem um patrimônio estimado em US$ 1,2 bilhões. Ele é considerado o segundo político mais rico do Brasil. De forma comparativa, Maggi declarou à Justiça Eleitoral em 2010 que seu patrimônio era de R$ 143,3 milhões.

O salário do ministro da Agricultura é o teto do funcionalismo público federal, R$ 33.763,00. Mesmo com tanto dinheiro recebido e acumulado, Maggi ainda possui o benefício de ganhar um apartamento funcional em Brasília, por ter sido eleito senador, e vale alimentação no valor de R$ 458.

Outro caso que chama atenção é do novo ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que entrou no cargo após o desembarque do PSDB do governo e a consequente saída de Bruno Araújo da chefia da pasta.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Michel Temer

Baldy é outro que ganha o teto do funcionalismo público, R$ 33.763,00. Também tem direito a um apartamento funcional por ser deputado federal licenciado.

O patrimônio declarado do ministro das Cidades é de R$ 4,2 milhões, em 2014. Curiosamente, em 2016, Baldy adquiriu um apartamento no valor de R$ 7,6 milhões. A Folha de S. Paulo entrou em contato com o deputado licenciado e questionou sobre o apartamento funcional.

A assessoria do ministro declarou que o apartamento vinha sendo usado como suporte para suas atividades parlamentares, porém, "já acredita ter sido entregue para a Câmara". O jornal solicitou um posicionamento da Casa Legislativa, que informou a não devolução ainda do imóvel.

Cabeças do governo

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda e principal responsável pela reforma da Previdência, é outro político do governo de Michel Temer cheio de benefícios.

Com salário de R$ 30.934,70, também ganhavam auxílio moradia na casa de R$ 7.733,68. O ministro decidiu parar de receber o benefício em outubro do ano passado, quando seu nome surgiu em pauta para concorrer à Presidência da República. A última vez que Meirelles divulgou publicamente seu patrimônio foi em 2002, quando concorreu ao cargo de deputado federal. Naquela época, ele possuía R$ 45 milhões declarados.

O investigado e braço direito de Temer, ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, tem uma situação parecida com Meirelles. Com salário de R$ 30.934,70, Padilha recebe um auxílio moradia de R$ 7.260,00 e vale-refeição de R$ 458. O patrimônio declarado do ministro é de R$ 2,7 milhões, em 2010.

Respostas

A Folha de S. Paulo entrou em contato com os ministros para obter seus posicionamentos. Alexandre Baldy afirmou que utilizava o apartamento funcional enquanto era deputado. Agora, como ministro, não vê mais necessidade. Já Blairo Maggi disse que não tem apartamento próprio em Brasília, por isso utiliza o funcional. Henrique Meirelles disse que abriu mão por vontade própria do benefício. E completou que, enquanto recebia, utilizava o auxílio moradia para ajudar a pagar o aluguel. Eliseu Padilha resumiu sua resposta a dizer que cumpria a legislação vigente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo