O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está atrelado a diversos processos na Justiça. Em sentença dada pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4° Região, Lula teve sua pena aumentada de 9 anos e seis meses para 12 anos e um mês de prisão. Além do mais, o ex-presidente ficará inelegível para as eleições presidenciais deste ano e ainda corre o grande risco de ir para a cadeia.

Com a situação de Lula se apertando, a defesa do petista busca várias alternativas na Justiça para evitar que a Polícia Federal chegue até Lula com um mandato de prisão. Os advogados de Lula chegaram ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator dos processos da Lava Jato, Edson Fachin, com um pedido de direita submissão.

O objetivo é barrar a prisão de Lula.

No mês passado, uma tentativa já havia sido feita ao vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins. No entanto, o habeas corpus foi recusado.

A defesa de Lula [VIDEO]avaliou que o momento é de bater na porta da Suprema Corte. Os advogados frisam que Lula é inocente e buscam na Justiça uma forma de evitar que a pena seja executada. Nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, Edson Fachin rejeitou um pedido de habeas corpus para Lula, que solicitava que o petista não fosse preso a partir da decisão dos desembargadores da segunda instância.

Fachin remeteu o caso de Lula para o plenário da Corte. A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, é quem definirá a data que serão analisados os recursos. Fachin também analisou que no STJ o pedido de habeas corpus de Lula foi negado através de uma liminar, podendo a instância anterior analisar novamente o caso.

Segundo informações do site O Antagonista, a decisão de Fachin eleva a suspeita, podendo ser uma forma de ajudar a defesa de Lula.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin, pede para que Cármen Lúcia analise o pedido de habeas corpus o mais rápido possível. Ele também cita que o fato de Fachin ter uma rápida decisão fará com que a Suprema Corte avalie o caso e aplique, segundo o advogado, de forma correta a Constituição Federal.

Nessa quinta-feira, 8 de fevereiro, a defesa de Lula e o novo advogado do ex-presidente, Sepúlveda Pertence, estiveram no gabinete de Fachin para discutir o caso de Lula.

O ex-presidente e seus advogados correm contra o tempo para evitar a prisão [VIDEO]. Utilizando todos recursos disponíveis e contratando mais um novo advogado, Lula pretende se livrar da cadeia e ainda concorrer às eleições residenciais. A decisão da Suprema Corte será fundamental no caso do ex-presidente.