O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu contratar um ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) para agregá-lo com seus advogados. Sepúlveda Pertence afirmou que nunca viu tamanha perseguição contra Lula igual agora e ressaltou que vai lutar para que o ex-presidente se livre das acusações e tudo isso de uma forma nada agressiva.

Conforme a jornalista Eliane Castanhêde, do jornal O Estado de São Paulo, a contratação do novo advogado poderia ser um golpe do petista contra a Justiça. Pertence é primo de terceiro grau da ministra e presidente da Corte, Cármen Lúcia, e nesta quinta-feira (8) descobriram que a nora do advogado é chefe de gabinete do ministro do STF Luiz Fux.

Seria intenção da defesa de Lula fazer com que ministros que são contrários ao petista se julguem impedidos para julgar o processo dele? Mesmo as informações sendo uma incógnita, o caso está chamando bastante atenção.

A ministra Cármen Lúcia já avisou que não colocará em pauta na Corte o assunto sobre prisão após condenação em segunda instância. Para ela, ficará certo o entendimento ocorrido no final do ano de 2016.

Luiz Fux, novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que a Lei da Ficha Limpa deve ser cumprida e diante disso o ex-presidente não terá como participar das próximas eleições. O fracasso da defesa de Lula frente o STF trouxe a ideia de contratar Sepúlveda Pertence.

O ex-ministro e presidente da Corte foi o ponto primordial da defesa do petista para que Cármen Lúcia e Luiz Fux saiam do caminho do ex-presidente.

A intenção é de que eles possam pedir a suspeição no caso de Lula e ficarem fora do julgamento, o que aumentaria a chance do ex-presidente não ser preso.

Inimigo

O PT declarou que Luiz Fux é seu novo inimigo, de acordo com as informações do site "O Antagonista". O deputado petista Wadih Damous disse para uma reportagem do jornal carioca O Globo que Fux cometeu impropriedade, já que estava dando opinião de um caso que mais tarde será julgado por ele mesmo.

Damous se revoltou quando o ministro afirmou que Lula [VIDEO] não poderá registrar a sua candidatura à presidência da República nas eleições deste ano.

Ficha Limpa

Luiz Fux deixou avisado que quem for “ficha suja” estará fora das próximas eleições. Segundo o ministro, a estrita observância da Lei da Ficha Limpa é o pilar fundante da atuação do TSE.

A lei estabelece que condenados em segunda instância não podem concorrer às eleições, o que é o caso de Lula. Em um outro ponto de seu discurso, o ministro [VIDEO] comentou que o momento é desafiador, pois o Brasil terá uma eleição presidencial muito imprevisível.