Nesta última quinta-feira, 15 de fevereiro, a Justiça Federal [VIDEO], a mando do desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Néviton Guedes, acabou suspendendo de maneira ''desconfiada', o interrogatório do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e de réus envolvidos em uma ação penal que trata de crimes de Corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência a respeito de medidas provisórias que beneficiariam montadoras de veículos e compra de caças de defesa vindas de uma fornecedora da Suécia.

O caso é colocado como suspeito pelo fato de não ser a primeira vez que desembargador Néviton Guedes ''livra'' Lula da Justiça.

O pedido para cancelar o interrogatório veio da defesa do ex-presidente, de seu filho Luís Cláudio Lula da Silva e de mais um envolvido na ação penal, o lobista Mário Marcondes Machado. Os três estão atrelados ao processo.

Em outra ocasião, o desembargador já tinha atendido Marcondes Machado, fazendo com que as audiências não ocorressem e concedendo uma liminar em habeas corpus. No mês de outubro do ano passado já era para os acusados darem ''a cara'' na Justiça e esclarecer os crimes.

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, estava tentando marcar os interrogatórios para o próximo dia 20, na terça-feira. No entanto, a decisão do desembargador Guedes colocou em evidência que a primeira instância não teria alertado sobre o status do cumprimento das cartas do exterior que foram enviadas a testemunhas que vivem em outro país.

Guedes deixou claro que o próximo dia 20 seria julgado o mérito do habeas corpus, não podendo colocar mais um interrogatório no mesmo dia. Na avaliação do desembargador, essas medidas garantirão possíveis prejuízos que podem ocorrer com a defesa dos acusados.

A ação que investiga a compra de caças no exterior ocorreram quando Lula já não ocupava mais o governo federal, este é mais um processo contra o ex-presidente que acontece na Justiça. Lula foi acusado de tráfico de influência durante a compra de 36 caças suecos do modelo Gripen. A denúncia enfatiza que o petista recebeu cerca de R$ 2,5 milhões com o esquema ilícito.

Lula está encrencado na Justiça [VIDEO], recentemente ele foi condenado em 12 anos e um mês de prisão pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Com a ação envolvendo a compra de caças e a condenação do caso tríplex a possibilidade de Lula concorrer as eleições presidenciais deste ano ficam ainda mais difíceis.