O Complexo Médico Penal (CMP) de Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, tem sido criticado por não levar aos presos da Operação Lava Jato um pouco de conforto em meio à dureza da prisão. Advogados dos condenados pelo juiz federal Sérgio Moro tentam recursos em cima de recursos para poderem conseguir habeas corpus e livrarem da cadeia seus clientes.

Esse desespero pode ser uma mensagem ao que virá pela frente para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na segunda-feira (05), mães e esposas dos detentos enviaram à administração do Complexo uma carta reclamando da situação precária no local de revista íntima. Na carta, foi mencionado que existe uma grande quantidade de lixo nos arredores, ratos por toda parte, fezes de pássaros e mau cheiro.

O CMP resolveu fazer algumas reformas para atender as reclamações. No Presídio estão políticos famosos que cometeram graves crimes contra os cofres públicos. Entre eles: o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o ex-diretor da Petrobras, Jorge Zelada, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto e Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil.

Pedidos à Corte

A defesa dos detentos tenta acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja concedido habeas corpus aos seus clientes. No dia 08 deste mês, chegou às mãos do ministro Edson Fachin um pedido de liberdade feito pelos advogados de João Vaccari Neto. O advogado Luiz Flávio Borges D'urso pede que os ministros revoguem o pedido de prisão preventiva determinado pelo juiz Sérgio Moro.

De acordo com a defesa, a prisão de Vaccari é injusta.

Ele foi preso em abril de 2015 depois que Moro percebeu o risco do petista, caso solto, persistir na prática de crimes ou mesmo conturbar as investigações.

A defesa do ex-ministro Antonio Palocci também entrou com um pedido à Corte para que o preso possa ter direito ao habeas corpus. Preso em Curitiba na carceragem da Polícia Federal (PF) desde setembro de 2016, Palocci já demonstrou que não aguenta mais essa vida. Ele chegou até a pedir um novo depoimento ao juiz Sérgio Moro para dar mais informações sobre a Corrupção do PT.

Com sua delação não sendo aceita, por enquanto, a defesa de Palocci pede para que Fachin leve até o Plenário da Corte o pedido de habeas corpus.

Lula

Através de todas essas informações, pode-se tirar a conclusão sobre o temor de Lula de ir para a prisão. Conforme informações da revista IstoÉ, o Departamento Penitenciário do Paraná já reservou o local da estadia de Lula, caso for decretada a sua prisão [VIDEO].

Ele ficará no Complexo Médico Penal numa cela de 12 metros.