O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, deu um discurso, nesta segunda-feira (26), ressaltando que é necessária uma reforma política urgente no Brasil. O evento foi realizado pela Rede Gazeta e o tema era sobre "Conquistas democráticas e combate à Corrupção". Além de Barroso, estavam presentes também o procurador da República e coordenador da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima.

Barroso criticou as desigualdades no país e apontou a corrupção como um dos maiores problemas que deixa os estados em situação precária, sem condições de cumprirem com as obrigações essenciais para as pessoas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

Sem saúde, sem educação e sem segurança, as pessoas sofrem e são vítimas do governo. A corrupção dos poderosos é tão grave quanto qualquer outro crime e leva as pessoas à morte.

O ministro comentou que o capitalismo no Brasil é diferente de outros países. Enquanto lá fora significa risco, competição e igualdade, aqui no Brasil é financiamento público, reserva de mercado e desoneração.

Para o ministro, é necessário uma reforma política urgente, porque as pessoas já não possuem mais confiança nos políticos [VIDEO] que os representam. A sociedade já trata com indiferença e desprezo [VIDEO] a classe política. Isso é um fator negativo e dessa forma, o país não consegue avançar rumo ao progresso.

Lava Jato

Luís Roberto Barroso enalteceu os trabalhos da Operação Lava Jato no Brasil e afirmou que a operação contribuiu para que poderosos fossem presos. Com a Lava Jato, o Brasil ficou mais justo.

A concepção criada pela elite brasileira de que os crimes de colarinho branco não são graves é totalmente equivocada.

Na verdade, declara o ministro, o crime de colarinho branco também mata.

Na visão de Barroso, a Lava Jato trouxe uma nova visão à sociedade e mostrou que a lei vale para todos.

Ao falar das denúncias que tomaram conta do meio político e que envolveram ex-presidentes da República, ex-presidentes da Câmara dos Deputados, ex-governadores e senadores, o ministro citou um cenário triste mas que demonstra a realidade. Ele afirmou que a "fotografia do presente é devastadora".

Corrupção

A corrupção destrói a vida das pessoas. A Lava Jato já plantou uma semente e o ministro acredita que os honestos ainda serão mais valorizados que os desonestos.

Numa conversa antes do evento com a TV Gazeta, o procurador Carlos Fernando também comentou que o Brasil, hoje, está melhor. Os criminosos já sentem medo de praticar atos ilícitos e serem pegos pela Justiça.

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é uma prova de que a Justiça está sendo feita.