O ex-presidente Lula se complicou na Justiça após condenação do juiz federal Sérgio Moro, levando seu caso para a segunda instância e tendo mais uma sentença negativa: 12 anos e um mês de detenção. Agora, um novo processo está em Curitiba, Paraná, Sergio Moro investiga o caso de um sítio em Atibaia, atribuído ao ex-presidente Lula, acusado de receber propinas de empreiteiras.

Para julgar o caso, Moro conta com um importante depoimento de um ex-casal de amigos de Lula, João Santana e Mônica Moura, que foram presos pela Polícia Federal.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

O casal de marqueteiros é peça-chave na análise de Moro e podem trazer provas intrigantes contra o petista. Esta semana é delicada para Lula, além de estar iniciando um novo processo, ele ainda lida com uma possível prisão vinda de sua primeira condenação.

João Santana e Mônica Moura assinaram acordo de delação premiada no ano passado, o casal também já afirmou que Lula e Dilma tiveram plena consciência do uso de caixa dois eleitoral na reeleição. O casal afirmou que pagamentos de honorários do partido foram feitos através da empreiteira Odebrecht. Para a defesa de Lula, o casal estaria mentindo para conseguir vantagens de um acordo de delação premiada com a Justiça.

Além do casal de marqueteiros, Sergio Moro também irá ouvir nomes como o ex-presidente da Petrobras Nestor Cerveró, o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-deputado Pedro Corrêa, Alberto Yousseff e Fernando Baiano. Tudo indica que os delatores irão entregar provas contra Lula perante Sergio Moro, prejudicando ainda mais o PT e o ex-presidente.

O sitio de Atibaia serviu como palco para festas particulares de Lula, a acusação afirma que o petista recebeu benefícios vindos da Odebrecht, OAS e Schahin, que apareceram como reformas no imóvel.

Uma planilha enfatizando custos da obra do sítio, foi entregue nas mãos de Sergio Moro pelo engenheiro responsável da obra, ao todo os valores chegam em R$ 700 mil. Tudo está atribuído ao processo do sítio. Este é o segundo processo que Lula irá responder, ao todo são 6 ações contra o petista.

Conforme as acusações e sentenças, Lula poderá se tornar inelegível para as eleições presidenciais [VIDEO] deste ano. O petista corre o risco de não conseguir concorrer e ainda ser preso. A defesa de Lula enfatiza que seu cliente é inocente de todas as acusações e que está sendo vítima de uma ''perseguição política'' envolvendo o juiz Sergio Moro, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal.