O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, [VIDEO] gerou grande polêmica ao tirar da cadeia presos condenados por corrupção e lavagem de dinheiro em decorrência das investigações da Operação Lava Jato. Mendes concedeu uma entrevista para o programa CB.Poder e comentou sobre Lula, prisões em segunda instância e candidatos a eleição presidencial deste ano.

Durante a entrevista, gilmar mendes foi questionado sobre aspectos da candidatura de Lula, devido a condenação do ex-presidente em 12 anos e um mês de cadeia. O ministro foi enfático ao dizer que as chances de Lula ir para a prisão são grandes e que o petista só conseguiria se livrar caso anulasse a decisão do Tribunal Regional Federal da 4° Região, algo bem difícil de acontecer.

Além do mais, Gilmar Mendes foi questionado sobre a possível candidatura de nomes como Joaquim Barbosa e Luciano Huck para a Presidência do Brasil. O ministro disse que não é possível pessoas com pouca vivência política se manterem ativas em um cargo tão alto, dando um sinal de alerta para os possíveis candidatos.

Sobre Joaquim Barbosa, Mendes avaliou que o ex-ministro não fez carreira política e deixou claro que não votaria em Barbosa para presidente.

Luciano Huck também ficou como um candidato desfavorável para Mendes. O ministro avaliou que o artista global não conseguiria se manter por conta da falta de experiência estando excluído da lista de candidatos de Mendes.

Prisão de Lula pode ocorrer a qualquer momento

Conforme decisão da Corte, prisões após condenação em segunda instância são legítimas.

A decisão do TRF-4 colocou Lula em situação delicada com a Justiça e também impossibilitado de se candidatar à Presidência. Com os ânimos à flor da pele, a defesa do petista busca alternativas.

Recentemente, mais um advogado foi integrado ao caso Lula [VIDEO]. Sepúlveda Pertence passará a defender o ex-presidente buscando soluções rápidas, tudo a fim de evitar o dia da prisão. A sentença em primeira instância do juiz federal Sérgio Moro, e em segunda instância dos três desembargadores do TRF-4, Leandro Paulsen, Victor Laus e João Pedro Gebran Neto, foram o que levaram Lula a essa situação perigosa.

A defesa de Lula segue firme dizendo que o ex-presidente é inocente de todas as acusações e está sendo ''perseguido politicamente''. Lula diz que é vítima e que não cometeu nenhum crime. Ele diz que há uma ''forte perseguição'' para evitar sua candidatura.