A jurista Carol Proner impressionou a todos ao expor o ponto de vista internacional a respeito do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO] da Silva. O julgamento realizado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) no dia 24 de janeiro deste ano, repercutiu no país inteiro e também em todo o mundo.

A jurista Carol Proner, que é doutora em Direito e atua como professora na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) concedeu uma entrevista exclusiva ao site “Brasil de Fato” e expôs como ela credita que o julgamento repercutiu fora do Brasil.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Segundo a jurista, o julgamento do petista mostrou que o “nosso sistema judiciário, é primário” no que diz respeito aos direitos estabelecidos para os réus e “a liberdade de serem usadas provas ilícitas para fazer valer apenas um ponto de vista”.

Por ter participado de um encontro na Espanha que reunia diversos juristas e doutores, Carol Proner pôde fazer um levantamento acerca de como o julgamento de Lula está sendo encarado fora do país. Segundo ela, a recepção do julgamento não foi bem recebida internacionalmente.

Ela afirmou que os jornais estrangeiros Le Monde Diplomatique e The New York Times mostraram que o julgamento do ex-presidente não foi bem visto no mundo, pois “não apresentou princípios justos”.

Jurista fala sobre o julgamento de Lula

Ao ser questionada na entrevista a respeito de seu ponto de vista acerca da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região em mudar a pena de Lula [VIDEO] de nove para 12 anos, a jurista Carol Proner respondeu que a decisão é questionável, pois a lei garante que o indivíduo é inocente até que realmente haja provas cabais que provem o contrário.

Ela criticou a rapidez que o julgamento de Lula foi realizado e afirmou que isso é considerado grave, pois mostrou de forma clara que houve tentativa de tornar Lula inelegível nas Eleições de 2018.

A jurista Carol foi questionada sobre o que poderia ser feito a respeito do processo de Lula. Ela respondeu que cabe aos advogados de defesa dele tomar as devidas providências e afirmou que eles já estão se posicionando a respeito, que pretendem usar todos os recursos que estão acessíveis a eles.

Carol Proner fez questão de enfatizar a recepção do julgamento de Lula na sociedade e garantiu que o ex-presidente não foi afetado na esfera política, pois, segundo ela, nas pesquisas, Lula ainda lidera as eleições de 2018. Isto comprova, segundo a jurista, que o povo brasileiro tem encarado o julgamento do ex-presidente como uma farsa e como algo inconsistente.

Carol considera ainda “inadmissível” que o judiciário se envolva na esfera política de forma a prejudicar partidos políticos e beneficiar outros. Ela falou que esta é a impressão que o Judiciário tem passado à população brasileira.