Com a possibilidade cada vez mais presente de que o ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio #Lula da Silva, além de se tornar inelegível, possa ter que arcar com uma provável decretação de prisão, devido à condenação no caso do apartamento tríplex do Guarujá, em que o ex-mandatário petista foi condenado a doze anos e um mês de prisão, após a confirmação da sentença em primeira e segunda instâncias.

Primeiramente, o petista havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro, por crimes de "colarinho branco", através de práticas criminosas de lavagem de dinheiro e #Corrupção passiva. Moro é o magistrado titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal da cidade de Curitiba, no estado do Paraná.

O inquérito que culminou em condenação no âmbito da força-tarefa da Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal, considerada a maior operação de combate à corrupção em toda a história contemporânea do país e uma das maiores já vistas em todo o mundo.

'Ataques' ao juiz Sérgio Moro e à Justiça

Com a probabilidade de não poder se candidatar ao cargo de presidente da República na eleição de 2018 e com um sério risco de que seja decretada a sua prisão em regime fechado, Lula passou a se manifestar com "ataques" ao juiz Sérgio Moro e ao Poder judiciário, inclusive contra os três desembargadores federais do Tribunal de segunda instância, o Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Em uma entrevista concedida a uma rádio de Pernambuco, o ex-presidente Lula afirmou, ao ser indagado sobre uma suposta decisão em "deixar" o país, já que poderia ter decretada a sua prisão, disse que a palavra "fugir" não existe em sua vida e que irá se candidatar, de qualquer modo, ao Palácio do Planalto.

Entretanto, ao demonstrar sinais de "desespero" e descontentamento com a Justiça, o mesmo começou a proferir "ataques" contra o Ministério Público Federal e ao juiz Sérgio Moro. Em relação ao magistrado paranaense, Lula se referiu a ele, como "messiânico" e quase um "analfabeto político".

Os ataques do petista também foram direcionados aos desembargadores federais do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), responsáveis pelo julgamento através de votos unânimes que confirmaram a sentença do juiz Sérgio Moro, no Tribunal de segunda instância. Lula teria afirmado que ficou pasmo quando viu que na segunda instância, os juízes estariam mais preocupados em salvar a cara da mentir que havia sido contada na primeira instância, do que estudar os autos do processo e absolvê-lo.

#Lava Jato