O jornalista da revista Veja, Augusto Nunes, decidiu desabafar e falou do cinismo que toma conta dos petistas. Eles acusam o juiz federal Sérgio Moro de estar errado ao receber um auxílio-moradia, já que possui casa própria, mas esquecem que o juiz não está fazendo nada de ilegal. Ele simplesmente age como, praticamente, todos os juízes do Brasil. Se o auxílio for extinto por lei, com toda certeza, Moro não receberá nenhum centavo desse valor. Mas e Lula? Por que os petistas [VIDEO] não olham para o seu líder e tentam entender o milionário auxílio-moradia que o ex-presidente recebe?.

De acordo com o colunista, os militantes e defensores do petista ignoram tudo o que Lula recebeu irregularmente.

O primeiro imóvel do ex-presidente foi concedido pelo seu amigo e advogado, Roberto Teixeira, que recebeu supostas vantagens indevidas da construtora Odebrecht para a aquisição do terreno do Instituto Lula.

A intimidade de Lula e Teixeira facilitaram negócios milionários e diante disso, o advogado sempre foi generoso com a família do petista. Por exemplo, dois filhos de Lula moram sem pagar aluguel em imóveis que fazem parte da imobiliária de Teixeira.

O sítio de Atibaia, interior de São Paulo, também esteve nas mãos de Teixeira, que fez toda a papelada para que Fernando Bittar se tornasse dono da propriedade que ele jamais frequentou. O triplex do Guarujá, onde Lula foi acusado de receber propina da construtora OAS, também não é falado pelos petistas. Eles preferem ignorar tudo isso. Sem contar ainda do apartamento do mesmo prédio de Lula que ainda está sendo investigado.

Moro recebe um auxílio-moradia de menos de R$ 5 mil. É um valor alto e desnecessário se for pensar que ele já possui uma casa, porém, é um valor totalmente insuficiente para pagar taxas de condomínios dos imóveis do ex-presidente, que insiste em dizer, que não possui nenhum imóvel. Na visão do colunista, podemos dizer imóveis de Lula que não são de Lula.

Condenações

Enquanto Sérgio Moro é atacado por todos os lados, ele continua seu trabalho firme no combate à Corrupção. Nesta segunda-feira (05), ele condenou dois ex-gerentes da Petrobras e absolveu um terceiro.

O processo que o juiz está analisando faz parte da 40ª fase da operação, denominada de "Asfixia". São investigados quatro contratos fraudulentos que envolvem cerca de R$ 29,6 milhões.

Outros dois empresários e um executivo ligado à Andrade Gutierrez também foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.