A chefe do Ministério Público Federal (MPF), a procuradora Raquel Dodge, não ficou nada satisfeita com uma proposta feita pelo deputado federal e candidato à presidência [VIDEO] da República, Jair Bolsonaro. Nesta última segunda-feira, 5 de janeiro, Dodge entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) de inconstitucionalidade, a procuradora enfatizou que o voto impresso seria algo fragilizante na política brasileira.

Bolsonaro apresentou a proposta avaliando que cidadãos que não acreditam nas urnas eletrônicas estariam mais satisfeitos com a possibilidade do voto impresso, dando mais credibilidade nas Eleições. Em 2015, a minirreforma eleitoral, sancionada pela ex-presidente Dilma Rousseff, contava com a possibilidade do voto impresso.

Em novembro do mesmo ano, o Congresso derrubou o veto de Dilma sobre o voto impresso. No total, 368 deputados e 56 senadores votaram a favor, apoiando esta nova utilização de conferência de votos.

Uma análise do Tribunal Superior Eleitoral enaltece que o Governo terá o gasto de R$ 60 milhões para instalar o novo sistema em 60 mil urnas eletrônicas.

Justificativa de Dodge

A procuradora avaliou que o voto impresso tirará o sigilo do voto, ela informa que pessoas deficientes visuais e analfabetas utilizarão outras pessoas para conferir os votos, fazendo com que nada fique em sigilo. Dodge afirma que isso seria um ''desrespeito''. Além do mais, Dodge diz que pode ocorrer alguma falha no sistema de impressão, comprometendo a votação e trazendo dor de cabeça nas eleições.

Dodge diz ser tamanha a exposição humana, e que pessoas terão acesso aos votos uns dos outros.

O ministro Luiz Fux, que assumirá o Tribunal Superior Eleitoral, deixou claro que umas das suas maiores preocupações no momento são as chamadas ''fake news'', em que poderão prejudicar as eleições e também o voto impresso.

Dodge deixou claro que é contra o voto impresso por ele representar ''retrocesso''. A chefe do MPF pede uma medida cautelar no Supremo para suspender a implantação da nova forma de contabilizar votos durante as eleições.

Jair Bolsonaro

O parlamentar carioca ganhou grande notoriedade na mídia por tratar de temas polêmicos na política. O voto impresso é um ''bandeira'' defendida pelo deputado e seus seguidores. Bolsonaro se lançará, pela primeira vez, como candidato à presidência da República e conquistou muitos fãs através das redes sociais.