O presidente da Câmara dos Deputados [VIDEO], Rodrigo Maia (DEM-RJ), se envolveu em um episódio polêmico, ao se expressar, recentemente, em relação à declarações dadas pelo ex-presidente da República e presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso.

O principal motivo da discórdia verificada entre o presidente da Câmara e o ex-presidente da República trata-se de uma entrevista concedida pelo tucano à imprensa, em que o ex-mandatário fez duras críticas em relação ao processo de intervenção federal no estado do Rio de Janeiro, medida tomada pelo presidente da República, Michel Temer.

Fernando Henrique critica intervenção federal no Rio

Durante a realização de sua entrevista recentemente, o ex-presidente da República afirmou que o Governo do presidente Michel Temer chegou a decretar a intervenção federal na área de segurança pública do estado do Rio de Janeiro por se encontrar, de certo modo, "encurralado", embora o mandatário possa tomar proveito da medida tomada, segundo FHC.

Entretanto, ao ser indagado sobre o que Fernando Henrique Cardoso faria numa situação análoga ao que se passa hoje o presidente Temer, o tucano saiu pela "tangente" e desconversou sobre o assunto "espinhoso".

O ex-presidente Fernando Henrique afirmou que "não saberia quais os motivos que teriam levado à decretação da intervenção federal no Rio de Janeiro, a não ser em relação à segurança pública". Fernando Henrique chegou a insinuar que a medida da intervenção foi tomada por Temer porque "governos que não são fortes apela para o militar".

A resposta contundente ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso veio de um dos políticos que tem se "estranhado" com o presidente Temer ultimamente. Rodrigo Maia saiu em defesa do presidente da República, ao afirmar que "lamenta que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não tenha assumido para ele mesmo, o problema relacionado à segurança pública no país, já que, talvez, se no período de 1995, o governo tivesse cuidado desse problema inerente à segurança, a população não estaria enfrentando os problemas pelo que se passa hoje e talvez, não existiriam cerca de sessenta mil mortos, vítimas de homicídios no país".

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi ainda mais longe em sua análise e nas críticas dirigidas ao tucano, ao afirmar que "FHC possa estar sentindo um pouquinho de inveja com a decisão correta tomada pelo presidente Michel Temer". Maia também criticou os ex-presidentes petistas, Lula e Dilma, por não terem tomado medidas semelhantes.