Na esteira das novas declarações de Michel Temer, que afirmou que fevereiro é a data limite para a votação da reforma da Previdência [VIDEO], o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o relator do projeto da reforma, Arthur Maia (PPS-BA), também voltaram a bater na tecla de que a decisão deve ser realizada de forma definitiva neste mês [VIDEO]. As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Segundo Maia, se o prazo for ampliado, a Câmara ficará estagnada no mesmo tema e não irá “votar nada”. Segundo ele, “o prazo é fevereiro, e ponto final”. Maia também disse acreditar que os governantes “têm clareza da necessidade da reforma”, destacando as “dificuldades” que a medida carrega.

A declaração do presidente da Câmara foi dada em discurso que marcou o início das atuações na casa.

Também em sua fala, Maia disse acreditar que os parlamentas irão “construir a solução” após o carnaval, a partir do dia 19 deste mês. O presidente da casa afirmou ainda que os deputados pretendem se reunir com os governadores de todo o país para debaterem a situação da Previdência em cada estado, além da Previdência federal como um todo.

A declaração de Maia vai de encontro ao discurso feito por Temer em entrevista à Rede TV, onde afirmou que a questão da Previdência precisa ser resolvida já neste mês para que os parlamentares e governistas possam tratar de outros temas relacionados ao país. A reforma se tornou uma das bandeiras do governo Temer, que tem afirmado que a medida é necessária para manter as aposentadorias no Brasil.

A medida é criticada pela oposição, que vê na reforma uma medida do governo de passar a conta de suas tribulações fiscais para os contribuintes. Temer se defende afirmando que a medida é necessária para equilibrar as contas do governo para as próximas gerações. O governo precisa de 308 votos de deputados para conseguir aprovar o projeto.