Com o fim do recesso parlamentar da Câmara dos Deputados, o Governo Michel Temer voltou a bater de porta em porta tentando reunir o número de 308 votos para aprovar a reforma da Previdência Social [VIDEO]. O relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) sobre este assunto, o deputado federal, Arthur Maia (PPS/BA), afirmou nesta quarta-feira, dia 7, que o Governo admitiu novas alterações no projeto da PEC da reforma, objetivando atingir os votos que faltam para então colocar o parecer em votação.

Carlos Marun disse que 40 votos antecipam aprovação

Conforme o Secretário de Governo, Carlo Marun (PMDB/MS), o projeto da Reforma da Previdência necessita ainda de aproximadamente 40 opiniões favoráveis para sua aprovação [VIDEO] na Câmara.

O Poder Executivo, tendo a frente Michel Temer encerrou o ano de 2017 com a previsão de que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), submeteria a PEC da Previdência aos parlamentares da Casa, no dia 19 de fevereiro Em 2017, o Instituto da Previdência teve um déficit estimado em R$ 268.799 bilhões.

Alguns pontos do texto a serem apreciados no Plenário

Entre os pontos do relator do texto da reforma da Previdência a serem submetidos à apreciação no plenário da Câmara dos Deputados, estão propostas como: a exigência de 65 anos de idade para homens se aposentar e 62 anos para mulheres; isonomia salarial entre trabalhadores [VIDEO] do setor público e privado, ao fim do período transitório. A proposta prevê para eles a faixa de R$ 5.645 mil. Para os Trabalhadores de atividades rurais, envolvendo por exemplo, economia familiar, garimpos ou pescas artesanais, a regra prevê que os homens se aposentem com 60 anos de idade e as mulheres com 55 anos de vida.

Para obtenção do Benefício de Prestação Continuada (BPC), que destina um salário mínimo a idosos acima de 65 anos sem direito à aposentadoria, o núcleo familiar dessa pessoa precisa de uma renda per capta menor que 25% do salário mínimo.

Votação pode se esticar até o dia 28

Segundo o site agência brasil, atendendo a profissionais de imprensa neste dia 7 de fevereiro, na residência oficial da Câmara, situada no Lago Sul, Maia teria afirmado que a Reforma da Previdência será colocada para ser votada no dia 20 de fevereiro que se aproxima. Caso necessário a Câmara volta ao tema nos dias 21 e 22, esticando no máximo até o dia 28, contando com a liquidação desse assunto.

Aguinaldo Ribeiro concorda que apreciação pode ir até dia 28

Ainda conforme o site, antes dessa afirmação, o líder do governo na Câmara, o deputado federal, Aguinaldo Ribeiro (PP/PB) também teria dito que a coleta de opiniões sobre o termo ocorreria até a data de 28 desse mês corrente.