Oficialmente, até o momento, a Reforma da Previdência está marcada para ser votada no plenário da Câmara dos Deputados no dia 20 de fevereiro. Porém, essa data está sob forte risco de ser cancelada. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, ficou muito irritado com as últimas declarações de Michel Temer sobre a situação da reforma. Segundo a Folha de S. Paulo, a pretensão atual de Maia é engavetar o projeto.

A irritação do possível candidato à Presidência da República pelo DEM surgiu após Michel Temer dizer "ter feito sua parte" para a aprovação da reforma. A Folha ainda informou que a vingança de Rodrigo Maia deve vir em forma de um discurso muito duro fazendo críticas a articulação do governo.

O jornal ainda diagnosticou que o Planalto perdeu muito do seu poder de barganha após ter negociado tanto para impedir que as duas investigações contra Temer passassem na Câmara.

O governo não tem nenhuma previsão de conseguir os 308 votos necessários para aprovar a reforma no plenário da Câmara. Segundo matéria do jornal A Tarde desta segunda-feira (5), o governo tem apenas 237 votos até o momento. Com a derrota iminente, Maia quer engavetar o projeto e passar a culpa da derrota para o Executivo, que não seria capaz de articular com a base o número de votos necessários.