A morte da vereadora Marielle Franco, do PSOL, não abalou apenas o Rio de Janeiro [VIDEO], mas também o país inteiro. Muita gente quer saber o que aconteceu com a política. Apoiadores garantem que o país merece saber o que aconteceu. Marielle foi a quinta vereadora mais votada do Rio em 2016. Ela estava em seu primeiro mandato e ficou conhecida por lutar pelos direitos humanos.

Marielle estava em uma reunião com mulheres negras momentos antes de ser morta [VIDEO]. Mas qual é a verdade que está por trás desse crime? Dois dias após o falecimento da política, já se sabe que muita coisa está a ser esclarecida. A polícia já fala em uma segundo carro, além do veículo que levava os assassinos, estava a acompanhar a vereadora.

Acredita-se em uma conspiração para assassiná-la.

Marielle Franco: morte de vereadora teve repercussão mundial

Nas últimas semanas, Marielle Franco estava denunciando atitudes de policiais que estariam acima do normal. Ela era contra a intervenção na segurança pública do Rio que foi aprovada pelo governo do presidente Michel Temer, do PMDB, como também pelo governador do estado, Luiz Fernando Pezão.

Artistas se solidarizaram com a perda. Atores da Globo estiveram na despedida de Marielle e seu motorista, que acabou sendo morto também na ação. Ele estava há dois meses na função, substituindo um colega que havia sofrido um acidente.

Ao todo, o carro com a vereadora foi atingido nove vezes, sendo que todas as balas foram em direção ao banco traseiro, onde ela estava, segundo a Polícia Civil.

Quatro tiros atingiram a cabeça da vereadora. Outros três, a lateral das costas do condutor do veículo.

Até mesmo a ONU (Organização das Nações Unidas) se pronunciou sobre a perda. A entidade disse claramente que estava a investigar os acontecimentos que abalaram o país e pedia um esclarecimento das autoridades brasileiras.

A morte da vereadora, é claro, atiçou os movimentos políticos. Alguns criticaram as bandeiras de esquerda defendidas por Marielle. "Os chamados ‘partidos de esquerda’ se apossaram do fato para propaganda política. Leiam a nota emitida pelo PT, usam o fato até para conclamar o povo a defender o Lula [ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva]. Uma coisa nojenta, digna dessa gente rasteira que condena os métodos ‘golpistas’ mas usam qualquer desgraça para tentar voltar ao poder. Política medíocre de um país patético", disse um eleitor online.

"Quem morreu foi ser humano, igual a eu (sic) e igual a você. Morreu vítima da criminalidade, não das forças que combatem a criminalidade. Vemos agora movimentos dando apoio, mas uma grande maioria desses manifestantes faz uso do que sustenta os criminosos: as drogas", analisou outro.