Já no final desta tarde de terça-feira (27), dois ônibus que transportavam a comitiva da Caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO] da Silva (PT) foram alvos de tiros. O fato ocorreu entre duas cidades do Paraná. Os ônibus estavam passando entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras, que ficam na região Sul do estado. Não foi confirmado ainda, mas tudo indica que foi feita uma emboscada. Segundo as informações, no momento do ataque, o ex-presidente Lula [VIDEO]estava em outro veículo, que não chegou a ser atingido pelos disparos.

Pessoas que fazem parte da comitiva e que estavam dentro do ônibus relataram que um deles chegou a ser atingido por três disparos.

Neste mesmo ônibus, estava também uma outra equipe que faz parte da imprensa e sempre acompanha as caravanas. Segundo os relatos, dois tiros pegaram do lado direito do ônibus e mais um do outro lado. Além dos tiros, outros ataques foram deflagrados contra os ônibus. Segundo os relatos das pessoas, um dos vidros do ônibus foi quebrado com um objeto arredondado, que pode ter sido uma das balas que acabaram ricocheteando.

Dois pneus foram furados por grampos que são conhecidos popularmente por “miguelitos”, que possivelmente foram deixados na estrada pelos manifestantes. A liderança do PT cobrou providencias por parte de governadores estaduais e da polícia com relação ao acontecido.

Gleisi afirma que existem pessoas querendo matar Lula

Após os ataques, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, participou de um ato junto a Lula e disse durante sua fala que existem pessoas querendo “matar o petista”.

Gleisi disse que já teve a presença de policiais em outros eventos do partido, mas que durante as caravanas a segurança não presta apoio.

A petista perguntou para as autoridades se seria necessário alguém ser morto para que fosse tomada as providencias, pois a caravana vem sofrendo com ataques desde o Rio Grande do Sul. Seguiu dizendo que um boletim será registrado. A senadora garantiu que as caravanas pelo estado vão continuar e afirmou que o próximo ato será em Curitiba.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, já foi informado pelo deputado federal Paulo Pimenta (PT) sobre o ocorrido. O deputado Marcio Macedo (PT) falou sobre o fato e disse que o presidente da República Michel temer e o governador do estado do Paraná, Beto Richa (PSDB), serão os responsáveis por qualquer coisa que aconteça contra o ex-presidente Lula. Não houve registro de feridos durante os ataques. Ninguém foi acusado de ter participado ou mandado executar os ataques contra a caravana do ex-presidente Lula.