O ex-ministro do Partido dos Trabalhadores (PT) Antonio Palocci vive momentos frustrados dentro da cadeia após ser condenado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O petista [VIDEO]também tenta de todas as formas acertar um acordo de delação premiada. No mês passado, o ex-ministro tentou falar no tribunal da Lava Jato, mas foi barrado pelo desembargador João Pedro Gebran Neto.

Dentro da cadeia, o petista tenta passar seu tempo fazendo trabalhos. Com a ajuda de seus advogados, Palocci recebe adubo e planta árvores. Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, desde que foi preso, Palocci já plantou mais de cem mudas de árvores.

A área reservada para seu banho de sol se transformou em um canteiro, onde o ex-ministro planta suas árvores com o adubo e terra recebidos da sua defesa.

Mas não é apenas plantar árvores que o ex-ministro deseja. Conforme as mudas vão crescendo, Palocci dá de presente para algumas pessoas, agentes da Polícia Federal, familiares de outros presos e seus próprios parentes já receberam as mudas plantadas pelo ex-ministro dentro de um lindo vaso. O ''mimo'' do petista atinge aqueles que ele ''mais gosta'' dentro da cadeia.

Prisão

Na cadeia desde setembro de 2016, Palocci foi um nome muito importante dentro do PT. O ex-ministro tenta fechar acordo de delação premiada, mas suas tentativas com a Justiça foram em vão. Condenado em 12 anos 2 meses e 20 dias de cadeia, Palocci tenta sobreviver na sua ''nova vida''.

O petista, acusado de se envolver em propinas avaliadas em US$ 10.219.691,08, referentes a contratos ilegais firmados com empreiteiras como a Odebrecht, foi interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato. Palocci fez comentários preocupantes, afirmando que teria interesse em dar detalhes relevantes para a Polícia Federal sobre casos envolvendo o PT.

O relator da Lava Jato no tribunal, o desembargador Gebran, avaliou que a tentativa de Palocci de se voltar para o tribunal pedindo que seja interrogado, seria para ganhar benefícios da Lei. Com isso, Gebran quis negar o pedido, trazendo inúmeras dificuldades para o petista.

Gebran afirmou que as possíveis informações de Palocci não teriam quaisquer envolvimento no processo do qual está respondendo. Caso Palocci deseje revelar algo, ele terá que se dirigir até a Polícia Federal ou Ministério Público Federal (MPF) para fazer tais acusações.

O ex-presidente Lula [VIDEO] poderia ser um dos citados por Palocci caso este consiga o interrogatório.