O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva se encontra em perigosa situação com a Justiça. A condenação a 12 anos e um mês dada pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4° Região tirou Lula das eleições presidenciais de 2018 e também trouxe desespero [VIDEO]ao petista devido a possível prisão.

Segundo informações do portal ''O Antagonista'', nesta próxima segunda -feira, 26 de março, o juiz federal Sergio Moro poderá ser surpreendido pelo desembargador do TRF-4, João Pedro Gebran Neto, um dos magistrados que foi responsável pelo voto contra Lula durante o julgamento.

Fontes afirmam que Gebran dará a palavra final no processo, cabendo a Sergio Moro emitir a ordem de prisão.

No mesmo dia, Moro poderá colocar Lula na cadeia, e o petista seria levado pelo camburão da Polícia Federal. A defesa de Lula tenta todos os recurso disponíveis na Justiça para salvar o ex-presidente, mas o cerco se fecha contra o petista.

Caso o Supremo Tribunal Federal (STF) mantenha-se firme com seu posicionamento, em menos de uma semana, Lula estará atrás das grades ao lado de nomes como o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o ex-ministro Antonio Palocci, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral e tantos outros políticos e empresários que foram condenados através das investigações da Operação Lava Jato.

O juiz federal Sergio Moro havia condenado Lula em primeira instância. O magistrado foi alvo de críticos da esquerda brasileira que afirmava haver parcialidade no julgamento.

No entanto, não há nenhuma prova na Justiça ou algo que possa incriminar Moro. Lula é acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, sendo réu em diversas ações penais.

Supremo não pode se apequenar

A ministra e presidente da Suprema Corte, Cármen Lúcia [VIDEO], está sofrendo grande pressão para colocar em rediscussão as prisões após condenação em segunda instância. Devido Lula ser condenado, houve grande tentativa da defesa e de ministros do Supremo em tratar novamente sobre esse entendimento

Caso vá para a mesa, os ministros poderão mudar o entendimento e livrar Lula da cadeia. Cármen está mantendo-se firme, em busca de não julgar o recurso. No entanto, um ''complô'' envolvendo os ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello e outros busca ''derrubar'' Cármen e rediscutir a questão.

Se o STF mantiver firme e não 'voltar para trás, na próxima segunda-feira, Lula poderá estar na penitenciária, segundo o Antagonista.