A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou a respeito da conduta do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato no âmbito de Curitiba, Paraná. Em apoio à decisão, Dodge avaliou que Moro agiu de ''forma perfeita'' ao barrar a defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO], que havia pedido para ter acesso na íntegra da delação premiada dos ex-marqueteiros do PT, João Santana e Mônica Moura.

A chefe do Ministério Público Federal (MPF) disse que a real tentativa da defesa de Lula é cassar o processo das mãos de Sérgio Moro. Para Dodge, esta seria uma tática que os advogados utilizam para conseguir cancelar a decisão em primeira instância.

Ao falar de Moro, a procuradora avaliou que a decisão do juiz não apresenta nenhum tipo de falha, os elogios ao juiz foram colocados em um parecer enviado ao ministro e relator dos processos da Lava Jato no Supremo, Edson Fachin.

Sérgio Moro não permitiu o acesso da defesa na íntegra com a delação premiada dos ex-marqueteiros por conter fatos que ainda precisam permanecer em sigilo na Justiça. Moro já havia liberado o acesso para parte da delação em que há conteúdos que incriminam o ex-presidente Lula. O juiz ressaltou que a defesa quer acompanhar em tempo real diligências pendentes e que ainda serão realizadas sobre o processo.

Raquel Dodge reafirmou a posição de Moro, enaltecendo que há fatos sigilosos nas investigações que não devem ser entregues para a defesa. A procuradora disse que Sérgio Moro [VIDEO] agiu de forma cautelosa, respeitando os advogados.

Dessa forma, Dodge mostra apoio a Lava Jato e enaltece as decisões tomadas por Moro, enfatizando as qualidades do juiz federal.

A defesa do ex-presidente não se pronunciou sobre o fato.

Defesa

A equipe de Lula, composta pelos advogados Cristiano Zanin e Sepúlveda Pertence, está tentando todas as formas para salvar Lula da cadeia. Após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negar o pedido de habeas corpus impetrado pelos advogados, Lula fica mais perto da prisão. O ex-presidente foi condenado em segunda instância pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal, da 4ª região, em 12 anos e um mês de cadeia. O caso investiga um tríplex localizado no litoral de São Paulo, Guarujá. Lula foi condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O ex-presidente também tenta ''fugir'' do juiz federal Sérgio Moro. Lula diz que vive uma ''perseguição política'' e que é vítima de uma ''armadilha'' envolvendo Sérgio Moro, o MPF e a Polícia Federal. O petista é réu em diversos processos e ainda terá que prestar muitas contas na Justiça.