O presidente Michel Temer (MDB) decidiu que Eduardo Guardia será o novo ministro da Fazenda no lugar de Henrique Meirelles, que deixará o cargo na próxima semana para tentar concorrer à presidência nas eleições de outubro deste ano.

Eduardo Guardia é hoje secretário executivo da Fazenda. Segundo informações do Estadão, a escolha do novo nome para a pasta teria sido costurada após um acordo entre Meirelles e Temer que permitiu ao atual ministro da Fazenda se filiar ao MDB, partido do presidente.

Apesar da intenção, Meirelles ainda não tem a candidatura à presidência garantida [VIDEO], e pode ter que disputar uma queda de barço nos bastidores com o próprio Temer, que nas últimas semanas passou a sinalizar com uma antes improvável possibilidade de se candidatar à reeleição [VIDEO].

Ainda de acordo com a publicação, Temer vislumbra a possibilidade de lançar uma chapa com Meirelles como vice. No entanto, a possibilidade dependerá da resposta do eleitorado ao nome do presidente nas pesquisas de intenção de voto. Se o nome de Temer não decolar – como não aconteceu até o momento, com uma alta taxa de desaprovação a seu Governo – o presidente pode desistir da ideia de concorrer ao cargo e deixar a chapa do MDB nas mãos de Meirelles.

Para tentar viabilizar seu nome à corrida presidencial, Temer aposta suas fichas na recuperação da economia e no sucesso da intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro. O presidente avalia que progressos na economia e na segurança podem convencer o eleitorado sobre a viabilidade de seu nome. A indicação de Guardia é então apontada como uma decisão segura para manter o plano econômico que já vinha sendo desenvolvido por Meirelles e não criar turbulências em um ano eleitoral com altas pretensões e disputas por todos os lados.