O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] está cada dia mais perto de conhecer o Complexo Médico Penal de Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, isso tudo, devido a opinião forte e resistência da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

Ela não aceita encontros com petistas e já afirmou que o STF não pode se "apequenar" para um caso específico. Dessa forma, ela deu indícios de que o habeas corpus de Lula não tem previsão de entrar na Corte.

Blogs de Esquerda, defensores do líder do PT e vários colegas de tribunais pressionam a ministra, mas ela é contundente com seus anseios e manteve a sua decisão.

Surge então um comentário pesado e preocupante de um petista conhecidíssimo. Alex Solnik já trabalhou em vários veículos de informação, como: IstoÉ, Interview, Jornal da Tarde entre outros. Nesta última terça (27), durante uma entrevista a um blog de Esquerda, Solnik fez um comentário lamentável e que pode ter caracterizado até mesmo um prenúncio de morte.

Na transmissão ao vivo, eram debatidas as chances de Lula não ser preso diante das manifestações contrárias ao petista da presidente da Corte, Cármen Lúcia.

Uma pergunta atiçou o ódio dos petistas [VIDEO]. A repórter quis saber qual a probabilidade de se aceitar o habeas corpus de Lula sem o caso entrar na pauta da Corte por decisão da ministra.

O jornalista petista ressaltou que "só se a Cármen Lúcia morrer e assumir seu sucessor. Essas coisas acontecem no Brasil...as tragédias!", declarou.

Veja o vídeo:

Recusas

A ministra tem recusado conversas com os petistas, diferentemente dos outros ministros do STF. Os petistas Gilberto Carvalho e Luiz Marinho tentaram reuniões com ela, mas não conseguiram. O novo advogado de Lula, ex-presidente do Supremo, Sepúlveda Pertence, também tentou marcar um encontro e já faz mais de uma semana que está aguardando a decisão dela.

Edson Fachin e Gilmar Mendes fizeram diferente e abriram as portas dos seus gabinetes para receber investigados que imploram ajuda para Lula.

Reunião com Temer

Nesta quinta-feira (01), Cármen se reuniu com o presidente Michel Temer e governadores no Palácio do Planalto. Ela deu um breve discursos e falou sobre a insegurança pública. Segundo Cármen, a democracia vive da confiança que o povo tem no Estado, onde dará a todos os direitos de andar tranquilamente pelas ruas.

Ela lembrou um fato triste acontecido com ela a anos atrás, quando foi roubada em sua cidade natal, no estado de Minas Gerais.