O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso causou alvoroço nas redes sociais após quebrar o silêncio e falar sobre sua opinião a respeito da decisão da Justiça em prender o ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva.

FHC apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, e surpreendeu a todos ao discordar da atitude da Justiça brasileira. Segundo ele, o país está enfrentando um alto grau de intolerância e isso tem o assustado.

Em entrevista a Fernando Grostein, que é irmão de Luciano Huck, FHC falou que a Justiça do nosso país é parcial e lamentou o fato de não ter se aproximado mais de Lula.

Publicidade
Publicidade

Segundo ele, se pudesse voltar no tempo, ele mudaria suas relações políticas, e tentaria ter aproximado mais de Lula e de partidos que ele considera progressistas.

FHC admitiu que a Justiça do Brasil além de ser parcial, é também seletiva e citou o exemplo de que um negro tem a possibilidade de ser preso mais rápido que um branco.

STJ nega pedido de Habeas Corpus de Lula

O Supremo Tribunal Federal (STJ) negou o pedido de Habeas Corpus do ex-presidente Lula, nesta terça-feira (06).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Eleições

Apesar da decisão do Supremo, Lula não pode ser preso imediatamente, pois ainda não foi expedida a ordem de prisão dele e ainda falta aguardar o julgamento de um pedido solicitado pela defesa.

O objetivo do pedido do habeas corpus era evitar que Lula fosse preso após esgotamento de todos os recursos julgados pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), e garantir que Lula pudesse participar das Eleições 2018. Entretanto, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, os condenados no TRF-4 podem ficar impossibilitados de concorrerem as eleições.

Publicidade

Os 5 ministros que votaram quanto ao pedido feito pela defesa de Lula optaram por negar o habeas corpus e afirmaram que ainda não era o momento ideal para discutir se ele irá ou não concorrer as eleições 2018.

Lula foi condenado no início do ano a cumprir a pena de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O petista ainda tem uma chance de ficar livre da prisão, caso ele conseguia uma decisão favorável em quarta e última instância no STF, e se ele for preso antes disso, a defesa pode entrar com outro pedido de habeas corpus.

Mesmo tendo negado o pedido da defesa de Lula, o ministro Edson Fachin permitiu que o pedido fosse analisado por uma decisão final da Corte. Desta forma, 11 ministros analisarão o pedido e a data será definida pela ministra Cármen Lúcia que ainda não tem previsão de quando será o julgamento.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo