No próximo dia 4 de abril, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO] irão julgar o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Lula. Desde que foi condenado em segunda instância pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4° Região, Lula tenta se livrar da cadeia utilizando todos os recursos disponíveis na Justiça.

O apelo feito ao STF fez com que Lula conseguisse permanecer em liberdade até o julgamento do recurso. Os ministros do Supremo deixaram claro que Lula não poderá ser preso até a sessão que definirá o futuro do ex-presidente. Conforme o clamor de parte da população brasileira a favor da prisão de Lula, diversos movimentos populares decidiram realizar uma grande Manifestação no dia 3 de abril, um dia anterior ao julgamento do petista no STF.

Generais do Exército brasileiro confirmaram presença no ato.

O objetivo da manifestação é mostrar aos ministros que parte da população deseja que Lula vá preso. O petista é acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, se tornando réu em várias ações penais na Justiça.

Os generais do Exército Rocha Paiva, Luiz Sodré, Luiz Peret e Augusto Heleno realizaram uma reunião em Brasília e confirmaram a participação no evento. A reunião contou com a presença de líderes de movimentos cívicos como o ''Vem Pra Rua'', ''Avança Brasil'', ''Nas Ruas'', ''Rua Brasil'', ''MBL'', ''República de Curitiba'', ''Acampamento Lava Jato'', ''Instituto Regasta Brasil'' e ''Brasil Despertou''. Os generais deixaram claro que participarão do movimento compactuando com a ideia de que Lula deve ir para a prisão.

Nas mãos do Supremo

O Supremo Tribunal tomará uma das decisões mais importantes e polêmicas na Corte [VIDEO]. Caso os ministros optem por deixar Lula em liberdade, poderá ocorrer um profundo sentimento de ódio por aqueles que desejam cadeia ao ex-presidente. O fato de generais estarem envolvidos na manifestação promete uma pressão ainda maior na Corte.

A líder do MBL no Rio Grande do Sul, Paula Cassol, avaliou que se a prisão de Lula não for executada devido decisão do STF, outros partidos políticos também ganharão impunidade. O desejo dos manifestantes é que Lula seja tratado como qualquer outro criminoso e cumpra seu dever com a Justiça.

Os advogados de defesa do petista prometeram que tentarão reverter a decisão do TRF-4, cancelando a condenação. A defesa também disse que está bolando novas estratégias para deixar o petista livre das grades.