Com a nova informação de que Michel Temer [VIDEO] decidiu se lançar candidato à Presidência da República na eleição de outubro, o principal 'prejudicado' foi Henrique Meirelles [VIDEO]. O ministro da Fazenda já deixou clara sua pretensão de se candidatar. Na última semana, em entrevista à Rádio Bandeirantes, afirmou com todas as letras que não tem nenhuma intenção de ser vice de ninguém.

Em entrevista ao jornal 'Estadão', Meirelles não descartou no futuro próximo uma aliança com o MDB de Temer, mas deixou claro que no momento busca um partido menor para se filiar. O PSD, seu atual partido, não pretende lançar uma candidatura à Presidência da República.

Dois partidos estão sendo avaliados por Henrique Meirelles. O primeiro é o PRB, que tem ligação com a bancada evangélica e a Igreja Universal. O segundo é o PSC, antigo partido de Jair Bolsonaro. Como o deputado saiu da legenda e foi para o PSL, abriu-se a possibilidade do ministro da Fazenda ser o candidato do partido.

Por lei, Meirelles tem até o dia 7 de abril para mudar de partido. A decisão do ministro precisa ser tomada logo. Futuramente, ele poderá realizar coligações para aumentar seu espaço nas propagandas políticas. Essa seria a função principal de uma coligação com o MDB, por exemplo.