O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Operação Lava Jato na Corte, Edson Fachin, comentou em uma entrevista ao jornalista Roberto D'Avila que sua família está recebendo diversas ameaças e isso tem causado grande preocupação nele.

De acordo com o ministro, além de se preocupar com os julgamentos do STF, ele tem buscado se prevenir de possíveis ataques contra sua família. O ministro, que votou contra o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou que tem analisado todas as ameaças e já entrou em contato com a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, para que seja tomada alguma providência em relação a isso.

A Policia Federal (PF) já estaria apurando a origem de todos esses fatos negativos e não deixará que Fachin seja vítima de possíveis fanatismos políticos.

Edson Fachin tem votado contra Lula e não concorda que seja revisto o entendimento sobre a prisão após condenação em segunda instância.

Na entrevista concedida, o ministro não falou de onde vem as ameaças e nem relacionou elas com algum fato concreto.

Conforme os dizeres do ministro, todas as medidas estão sendo adotadas por intermédio de uma delegada que trabalha no tribunal.

Habeas Corpus de Lula

A posição do ministro frente ao caso de Lula é bem simples. Se dependesse dele, Lula não teria nenhum julgamento para se definir se o STF concede ou não o habeas corpus.

Fachin também não gostou que a sessão foi suspensa por causa de um compromisso do ministro Marco Aurélio. Isso só causou indignação nas pessoas e mais problemas para a Corte.

O julgamento foi remarcado para o dia 4 de abril e já se falam em manifestações nos dias anteriores para pressionar o STF a não beneficiar Lula.

Outro ponto que Fachin votou contra, foi o de fornecer uma liminar para o petista não ser preso após decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Lula acabou tendo seus recursos negado pelo tribunal, mas não pode ser preso, graças a essa liminar votada no finalzinho da sessão da quinta-feira (22).

Pedido de Palocci

O ministro também negou um pedido da defesa do ex-ministro Antonio Palocci para que o habeas corpus dele fosse julgado nesta teça-feira (27).

Fachin avisou que irá aguardar o julgamento de Lula pois a defesa do ex-ministro citou o caso do líder do PT e como o STF não chegou a um veredito, é preciso aguardar um pouco.

Em entrevista ao Roda Viva, que ocorreu nesta segunda-feira (26),o juiz federal Sérgio Moro citou o excelente trabalho do ministro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo