O juiz Sérgio Moro foi enfático e se expressou de forma contundente durante participação em um evento realizado em Nova York, nos Estados Undos, nesta sexta-feira (2). O magistrado paranaense se manifestou a respeito do combate à Corrupção no Brasil e todos os desafios inerentes a um dos mais graves problemas da realidade brasileira.

Moro defendeu, de modo exponencial, as investigações que são realizadas no âmbito da força-tarefa da Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal, que é considerada a maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea brasileira, além de já ser reconhecida como uma das maiores operações já desencadeadas em todo o mundo.

'Momento da verdade'

Durante sua explanação na maior cidade norte-americana, o juiz Sérgio Moro foi categórico ao responder às insinuações do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-mandatário petista havia dito, na última quinta-feira, em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", que o magistrado paranaense poderia estar agindo de modo deliberado contra o Partido dos Trabalhadores (PT), para atender a interesses norte-americanos no Brasil.

A resposta do juiz Sérgio Moro foi expressiva, ao se referir ao episódio, sem mencionar indiretamente o ex-mandatário petista. O juiz, que é titular na décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal da cidade de Curitiba, capital do estado do Paraná, afirmou que as investigações da força-tarefa de combate à corrupção da Operação Lava Jato estão revelando os fatos inconvenientes de muitos políticos.

Em uma crítica indireta ao ex-presidente Lula, Moro afirmou que "as pessoas teriam ilusões a respeito de seus ídolos, porém, é a hora de ver a verdade", na abertura de um evento relacionado ao combate à corrupção em toda a América Latina, que foi promovido pelo American Society/ Council of the Americas, em Nova York, nos Estados Unidos.

O magistrado foi ainda mais longe, durante manifestação de suas opiniões, ao afirmar que "ninguém estaria sendo julgado ou investigado, devido à opinião pública, mas sim por crimes relacionados à lavagem de dinheiro, propinas e atos criminosos". Ao ser indagado por jornalistas no evento a respeito das afirmações feitas por Lula no Brasil, em relação à entrevista mais recente, Moro respondeu categoricamente que "não responderia a entrevista de gente que se encontra processada perante à Justiça".

O juiz Sérgio Moro fez ainda uma forte defesa ao fim do foro privilegiado no Brasil e admitiu que há riscos de retrocessos no País, mas que não tem como prever o futuro. O magistrado reconhece ainda que a sociedade civil brasileira segue apoiando, de modo exponencial, a Operação Lava Jato.