O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] viu sua situação piorar na tarde desta terça-feira (6), quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu por unanimidade negar um pedido de habeas corpus da defesa de Lula. Agora, para o petista não ser preso, resta esperar uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre um outro habeas corpus ou rever a execução de pena após condenação em segunda instância.

O Partido dos Trabalhadores já voltou suas fichas para o STF e começou a pressionar a Suprema Corte.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Em nota, o partido afirmou ser necessário decidir de forma "urgente" a situação de Lula. A nota do PT foi assinada pelas lideranças nacionais do partido: a presidente Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias e o deputado federal Paulo Pimenta, líderes do partido em suas respectivas casas legislativas.

A nota assinada pelas três lideranças petistas ainda cobra que o Supremo Tribunal Federal faça a análise da situação de Lula de forma condizente com a Constituição Federal, que não seja pautada pela "agenda política". E concluiu dizendo que é necessário uma decisão de forma rápida para conter o clima de instabilidade [VIDEO] que o País vive, não apenas no cenário político, mas também social.