O sargento fahur estaria pleiteando uma candidatura à deputado federal pelo seu estado, o Paraná. O desejo de Fahur, segundo ele próprio, seria de sair para deputado pelo partido do deputado federal Jair bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República pelo PSL.

O fato é que o deputado Fernando Francischini, que é o presidente estadual do PSL no Paraná, foi quem vetou a candidatura do Sargento pelo PSL. Segue abaixo, a nota de esclarecimento do caso, segundo o próprio Sargento Fahur:

"Boa noite, pessoal, Fahur que vos fala, utilizando o WhatsApp do subtenente Eduardo, meu amigo. Gostaria de esclarecer alguns pontos, pois estou recebendo várias críticas e, inclusive, amigos passando áudios e conversas a respeito de uma decisão que foi tomada.

Infelizmente, o jogo político exige certas atitudes que não são do nosso contentamento, mas faz parte. O policial Wilson, meu amigo, me defendeu e eu agradeço por suas palavras e é mais ou menos isso.

Eu tinha algumas opções e eu gostaria que os senhores entendessem e, inclusive, divulgassem essa fala minha que eu fui vetado no PSL. Muitos dizendo que eu recebi proposta do próprio ‘Mito’ [como Bolsonaro é chamado pelos correligionários] e que não fui para o PSL por questões financeiras ou porque eu não tinha estrutura, é mentira.

O presidente estadual do PSL é o deputado federal Fernando Francischini, que estrategicamente, não me quer no PSL. É um direito dele. Nós teríamos que fazer 400.00 mil votos para eleger nós dois, ou 600.000 mil para eleger três (deputados federais). Então, ele (Francischini) acha que não é viável.

Poderia, inclusive, tirar a vaga dele ou ele tirar a minha. Então, ele me vetou no PSL. Nada de animosidade, briga nem nada. Ele, como presidente estadual, não me quer no PSL. Ele está levando pessoas com menos expressão com 15, 20 ou 30 mil votos.

Ele acha que eu posso estourar e complicar uma eventual eleição dele. Eu conversei com ele ontem, nós somos amigos, não existem nenhum animosidade. Ele me vetou no PSL.

Eu gostaria sim de disputar pelo PSL a favor do Jair Bolsonaro, junto com Bolsonaro. Mas uma das exigências que eu fiz para o PSD foi que eu pudesse apoiar Bolsonaro, eu sou Bolsonaro presidente do Brasil.

Essa foi uma das exigências. Vocês vão ver no material de campanha futuramente eu junto com Bolsonaro. Senão, eu desisto da minha candidatura e vou apoiar Bolsonaro, não tem problema nenhum."

A resposta e o esclarecimento do Sargento Fahur seguem ainda com muitas explicações sobre o caso como você pode acompanhar no vídeo postado abaixo: