Prestes a ser decidida a situação criminal do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva, cujo processo criminal pode resultar num "desfecho", após esgotado julgamento dos recursos judiciais apresentados pela defesa do ex-mandatário do pais, denominados de "embargos de declaração". Vale ressaltar que o processo relacionado à aquisição do apartamento Tríplex do Guarujá tramita, através dos últimos recursos judiciais pendentes no Tribunal de segunda instância ou "Corte de Apelação", em se tratando Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), sediado em Porto Alegre no estado do Rio Grande do Sul.

Após sentença de condenação proferida em primeiro grau pelo juiz Sérgio Moro, no âmbito das investigações de crimes de "colarinho branco", através das apurações da força-tarefa da Operação Lava Jato [VIDEO], o caso foi remetido à segunda instância.

Os votos unânimes de três desembargadores federais acolheram a sentença de Moro contra Lula, por crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva e fixaram uma pena de doze anos e um mês de prisão em regime fechado para o ex-mandatário petista.

Data 'chave' para ex-presidente e manifestação de Moro

Com a enorme expectativa gerada perante a sociedade brasileira, principalmente, por meio das redes sociais, acerca do término dos recursos do ex-presidente Lula, no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), a data de 26 de março próxima poderá se tornar um "marco" para o país, um verdadeiro "divisor de águas". O TRF4 reagendou para a data do próximo dia 26, o julgamento do último recurso impetrado pela defesa de Lula no Tribunal de segunda instância, o que, a depender do resultado, poderá ter decretada até mesmo, a prisão do ex-mandatário.

O reagendamento do julgamento dos chamados "embargos de declaração", foram realizados por ordem expressa do presidente da Turma do colegiado de desembargadores federais que julgou Lula, Leandro Paulsen. Vale lembrar que a data fixada para análise final do caso na Corte de Apelação, se dará em meio ao período do feriado católico da Semana Santa.

Um dos principais fatores apontados para a data sugerida pelo Tribunal, é que um dos desembargadores que julgaram o ex-presidente, Victor Laus, deverá retornar de suas férias. Anteriormente, a sessão estava prevista para o dia 28, antevéspera do feriado. Outro fato extremamente relevante, é que o juiz federal Sérgio Moro, deverá conceder uma entrevista exclusiva ao programa "Roda Viva", da TV Cultura. Vale lembrar que esta edição respectiva do programa, deverá ser o último que contará com a apresentação e condução do jornalista Augusto Nunes, na bancada de apresentadores.