O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato [VIDEO], concedeu uma palestra no México, ao lado de estudantes de Direito e do Senado mexicano. Moro foi comentar sobre detalhes das investigações e ainda mandou alerta para os mexicanos. O juiz foi convidado por uma organização não governamental contra a corrupção do México.

Nesta última terça-feira, 27 de fevereiro, Moro esteve ao lado também de ministros da Suprema Corte mexicana. Moro afirmou que a corrupção não seria uma doença tropical e que mesmo lutando contra ela, ainda irá existir. O juiz enfatizou que não exite nada que condene apenas países latinos-americanos à corrupção.

Na explicação, Moro disse que a delação premiada foi peça-chave para a descoberta de crimes envolvendo grandes empresários e políticos. O juiz lembrou que um ex-diretor da Petrobras foi o responsável por colocar grandes nomes na linha das investigações, fazendo com que surgisse uma bola de neve de descobertas de crimes.

O sistema criminoso descoberto pela Lava Jato é um dos maiores escândalos de corrupção do mundo. O juiz deixou bem claro que é preciso ir além dos depoimentos, mas sim colher provas para condenar os culpados. Recentemente, Moro condenou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e seis meses de cadeia. Em decisão na segunda instância, Lula teve a pena aumentada para 12 anos e um mês de detenção. Petistas demonstram ''rancor'' por Moro e afirmam que o juiz age com parcialidade no julgamento dos processos envolvendo Lula.

O juiz do Paraná destacou que o trabalho da Lava Jato não depende só de um homem, mas sim de uma equipe composta por um força-tarefa exclusiva ao combate à corrupção. O juiz citou que após o governo militar, o Brasil teve uma democracia muito exigente e que, atualmente, instituições como a Justiça estão cada vez mais fortalecidas.

Um detalhe que colocou a Lava Jato no auge foi o apoio da população brasileira. Muitas pessoas demonstraram que estão em prol das investigações, apoiando a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o juiz Moro como o responsável por julgamentos de ''nomes poderosos''.

Em um alerta aos mexicanos, Moro enfatizou que mexer com corrupção é mexer com ''gente muito poderosa''. A Lava Jato conta com réus de grande poder [VIDEO]aquisitivo, e provou que há crime com os chamados ''colarinho branco''.

Sérgio Moro ganhou grande notoriedade com sua forma de julgar crimes e colocar na prisão os grandes empresários.