Após o fracasso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Superior Tribunal de Justiça (STJ), é questão de tempo para chegar até o juiz Sérgio Moro a liberação para a execução provisória da pena do petista [VIDEO]. A prisão de Lula é quase certa, já que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, já informou que não vai pautar o habeas corpus de Lula na Corte e nem um possível novo entendimento sobre a prisão após condenação em segunda instância.

No Paraná, o diretor do Departamento Penitenciário do Estado (Depen), Luís Alberto Cartaxo Moura, comentou que existe uma preparação caso Lula seja levado à Curitiba.

Já foram cogitados vários locais para o ex-presidente ficar.

Vale lembrar que Moro [VIDEO]pode determinar que o petista fique em São Paulo próximo de sua família.

Caso seja levado à Curitiba, um dos locais mais prováveis de sua prisão é no Complexo Médico Penal de Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Lá estão vários presos da Lava jato, como: o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o ex-deputado federal André Vargas.

O diretor do Depen afirmou que Lula terá um tratamento especial, já que foi um ex-presidente da República. Ele não poderá ser levado de cara para uma ala comum. Pelos planos do diretor, primeiro Lula ficaria de 15 a 30 dias isolado em uma cela para se adaptar. Ele não terá direito a nenhum privilégio. Sem banho de sol, sem visitas e sem contato com outros presos.

Após passar esse tempo, Lula dividiria a cela com um dos detentos. Eduardo Cunha está há um bom tempo no presídio e poderia haver a possibilidade dele ser a grande companhia de Lula na cela. Os inimigos se abraçariam pela sobrevivência. Da mesma forma que Moro ordenou a prisão de Cunha, poderia vir alguma ordem para que Cunha fique com petista na mesma cela. Lembrando que essa hipótese não foi mencionada e se torna apenas uma possibilidade, segundo os procedimentos prisionais.

Outras alternativas

O diretor do Depen afirmou que existe a possibilidade de Lula ir para o quartel do Exército cumprir pena, porém, a direção não quer que Lula se utilize disso para ressaltar que está sofrendo perseguição política e estar no quartel poderia dar essa ideia.

Defesa

A defesa do líder do PT coloca suas fichas no Supremo e torce para que haja uma mudança no entendimento sobre o cumprimento da prisão após sentença da segunda instância.