A morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), no Rio de Janeiro, foi o assunto mais falado pela imprensa na última semana. [VIDEO] Ela acabara de participar de um movimento político, quando foi assassinada pouco após entrar em seu carro. Além da vereadora, que foi a quinta mais votada no município do Rio de Janeiro em 2016, também faleceu no atentado o seu motorista, Anderson Gomes [VIDEO].

A sobrinha de Marielle, de apenas 19 anos e que a imprensa preferiu não divulgar o nome, usou suas redes sociais para fazer um desabafo sobre a morte de Franco. Revelando a verdade de quem conviveu ao lado da líder do PSOL durante anos, a familiar solicitou o fim das mentiras em torno do caso.

Morte da vereadora Marielle Franco mexe com redes sociais e cria 'praça de guerra'

Por ser uma defensora dos direitos humanos, Marielle teve o seu assassinato lembrado em todo o planeta. A repercussão criou também uma "praça de guerra" online. Logo, acabaram surgindo notícias falsas que ligavam um suposto passado da parlamentar, que teria supostas ligações com criminosos.

Nada disso foi comprovado e a sobrinha, defendendo a honra da política morta, usou sua rede social para lamentar. Em uma mensagem no Facebook, a jovem deu destaque ao andamento da vida da tia. A sobrinha, que também postou uma foto ao lado da tia, solicitou que as pessoas parem de inventar mentiras e que respeitem o momento de dor de toda a família.

Assassinato de Marielle Franco tem repercussão internacional e abala intervenção militar

Ainda na publicação, a jovem conta que Marielle Franco sempre se dedicou a lutar pelos outros.

O caso teve repercussão mundial. A vereadora era contra a intervenção militar no estado do Rio,.

Muitas pessoas ligadas à representante do povo acreditam que ela possa ter sido morta por um militar da ativa ou miliciano, que são os militares e ex-militares que atuam de forma criminosa nas comunidades para venderem algum tipo de serviço, geralmente mais caro que o normal e não permitindo qualquer tipo de concorrência.

Desembargadora diz que Marielle Franco tem elo com bandidos; família processará

A publicação da sobrinha, acredita-se, pode ser uma resposta à desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) Marília Castro Neves, que afirmou na última sexta-feira (16) em uma rede social que Marielle Franco "estava engajada com bandidos" e que tinha informações de que a vereadora não era apenas uma simples lutadora.

A família da vereadora já avisou à imprensa que vai processar Marília Castro Neves pelos comentários, considerados levianos pelos familiares.