Condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no chamado “caso do tríplex”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá seu pedido de habeas corpus preventivo julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a partir das 13h desta terça-feira, dia 6.

Lula foi condenado em segunda instância [VIDEO] pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que decidiu em aumentar a pena do ex-presidente, antes fixada pelo juiz Sérgio Moro em 9 anos e 6 meses.

No julgamento que se inicia nesta terça-feira, os ministros do STJ irão decidir se Lula poderá começar a cumprir a pena logo após o esgotamento de recursos no próprio tribunal de segunda instância, ou se o presidente poderá permanecer em liberdade enquanto couberem recursos em tribunais de instâncias superiores.

A defesa argumenta que Lula não cometeu crimes nem agiu para a impedir a investigação. Os advogados também argumentam que Lula não tentou fugir ou atrapalhar o andamento do processo em nenhum momento, motivos que podem justificar que continue respondendo à ação em liberdade.

Também nesta segunda-feira, dia 5, o Ministério Público Federal (MPF) apresentou ao TRF-4 parecer recomendando a manutenção da pena aplicada a Lula e que o ex-presidente seja preso assim que o recurso da defesa do ex-presidente for julgado.