2

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, [VIDEO] durante entrevista no programa ''Roda Viva'' da TV Cultura, chamou atenção ao elogiar a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber. A atitude de Moro soou como um recado à magistrada, que terá importante atuação no julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 4 de abril.

Sérgio Moro disse que é possível notar grande qualidade na ministra Weber, elogiando a seriedade e técnica na forma de atuar no Supremo. No entanto, quem ficou ''furioso'' com os elogios de Moro foi o advogado de defesa de Lula, Cristiano Zanin.

Na perspectiva de Zanin, Rosa Weber não poderá ceder a ''pedidos'' vindos de assessores ou integrantes da Justiça, enfatizando uma indireta a Sérgio Moro.

No momento, o medo dos advogados de Lula é que a ministra do Supremo ceda a pressão dada por Moro e negue o habeas corpus de Lula. Rosa Weber mostra-se misteriosa quanto ao seu voto no próximo dia 4, aumentando ainda mais a tensão sobre o recurso.

O juiz federal já foi auxiliar de Rosa Weber durante o julgamento do Mensalão e mostrou ter certa afinidade com a ministra. Além de Rosa, o ministro Celso de Mello também terá importante papel sobre o habeas corpus de Lula. Caso o pedido seja negado, o ex-presidente poderá ser preso imediatamente com a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

No dia 22 de março, a Suprema Corte se reuniu para discutir se o habeas corpus iria para sessão no Plenário.

Os ministros concordaram analisar o caso, porém decidiram que Lula só poderia ser preso após a votação do dia 4 de abril. Caso o Supremo não tivesse tomado esta decisão, no dia 26 de março o petista já poderia estar atrás das grades. Para muitos brasileiros o dia 4 de abril será um marco na história, movimentos cívicos irão se manifestar para que Lula cumpra sua pena como condenado na Justiça.

Pressão de Moro

Além de elogiar Rosa Weber, Sergio Moro enfatizou que caso o Supremo [VIDEO] volte atrás sobre o entendimento de prisões após condenação em segunda instância, isto poderia causar um ''desastre'' no sistema Judiciário. Moro disse que o objetivo é lutar contra a impunidade e cancelar esta decisão seria um retrocesso.

Convite para o dia 3 de abril

Um dia anterior ao julgamento do recurso de Lula, grupos como o ''Vem Pra Rua'', ''Nas Ruas'', ''MBL'' e tantos outros preparam um grande manifestação para pressionar o STF a colocar Lula na cadeia. O objetivo é reunir forças e fazer com que os ministros não se ''apequenem'' perante um poderoso nome da política.