Em busca de apoio da comunidade internacional a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, que se encontra preso em Curitiba já há duas semanas, a atual presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), a senadora Gleisi Hoffmann, gravou um vídeo destinado à rede de televisão Al Jazeera pedindo apoio pela liberdade do líder da esquerda brasileira.

Gleisi, é válido lembrar, tem sido uma das grandes defensoras de Lula neste momento complicado na vida do ex-presidente.

Publicidade
Publicidade

Além de já ter manifestado o desejo de visitá-lo pessoalmente na cadeia da Polícia Federal em Curitiba, a senadora tem constantemente motivado a militância petista a seguir apoiando e fazendo resistência ao que chama de "injustiça política".

Na gravação, a petista faz um apelo até em cima das questões geográficas e de um suposto sentimento favorável que Lula teria aos árabes. Ela diz que ele foi o único presidente brasileiro a se preocupar em fazer uma visita ao Oriente Médio no exercício do mandato.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula

"O objetivo por trás desta recente prisão é impedir que Lula possa se candidatar à presidência nas eleições brasileiras neste ano. Por isso, convido a todos e a todas para participarem dessa campanha em busca da libertação", diz Gleisi em um trecho da filmagem.

"Lula sempre foi um grande amigo do mundo árabe. No governo comandado por ele, o comércio brasileiro com ele se multiplicou por cinco. Em toda a história, o Brasil sempre recebeu muitos árabes e palestinos.

Publicidade

Lula foi o único presidente que visitou a região de vocês", acrescentou à mais influente emissora do mundo árabe.

Em outro trecho de sua fala aos árabes, Gleisi fez muitas críticas à postura da TV Globo, maior emissora de televisão do país, a quem acusou de ser "cúmplice" na recente prisão de Lula.

"Contra o ex-presidente não recai nenhuma prova daquilo que é acusado. São apenas falsas acusações. A Globo domina a imprensa brasileira e não quer que Lula esteja em liberdade.

Ela fez uma campanha repleta de mentiras contra Lula. Eles pressionam o Judiciário a não conceder a liberdade, muito embora ela esteja prevista pela Constituição Federal", disparou a senadora.

Por fim, ela entende que a detenção de Lula nada mais é do que a "continuidade" do "golpe" realizado em 2016, quando a ex-presidente Dilma Rousseff foi destituída do cargo por meio de um longo e arrastado processo de impeachment. "Ela não cometeu nenhum tipo de crime, assim como o ex-presidente", avaliou.

Publicidade

Declarações aos árabes repercutem no Brasil

A fala de Gleisi Hoffmann endereçada à rede Al Jazeera causou enorme polêmica entre os brasileiros, inclusive no próprio Senado Federal. A senadora do PP do Rio Grande do Sul, Ana Amélia Lemos, se disse "surpreendida" depois de ver o vídeo e considerou a postura da petista uma "afronta à democracia brasileira", "aos direitos constitucionais" e "às instituições brasileiras", como o Judiciário, o Ministério Público e a própria imprensa.

Publicidade

Irritada com a argumentação de Ana Amélia, Gleisi foi à tribuna do Senado e rebateu, acusando-a inclusive de "xenofobia" e garantindo que o mesmo discurso que deu à Al Jazeera foi dado para outras emissoras internacionais de países como Espanha, França e Inglaterra.

No Twitter, o debate também foi grande a partir da divulgação do vídeo feito pela presidente do PT, de modo que a hashtag #GleisiTerrorista se tornou uma das mais comentadas durante a noite desta quarta-feira. Lula segue preso na Polícia Federal de Curitiba por conta de sua condenação de 12 anos e 1 mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro a partir de investigações da Operação Lava-Jato.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo