O ex-ministro petista da Fazenda Antônio Palocci Filho encontra-se preso na carceragem da Polícia Federal [VIDEO], em Curitiba, no Paraná. O petista conseguiu, após várias tentativas e negociações implementadas, selar um acordo de colaboração premada juntamente à força-tarefa da Operação Lava Jato, mais especificamente com a Polícia Federal, já que o ex-ministro não havia conseguido anteriormente firmar acordo com o Ministério Público Federal, cuja delação premiada encontrava-se paralisada.

Vale ressaltar que a Operação Lava Jato [VIDEO]é considerada a maior operação anticorrupção já implementada em toda a história contemporânea do Brasil e uma das maiores já desencadeadas em todo o planeta ao apurar crimes relacionados a "colarinho branco", que acarretaram a "sangria" por meio de desvios bilionários dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobras.

A força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Novos benefícios concedidos a Palocci

O ex-ministro Antônio Palocci acabou sendo beneficiado por algumas regalias, após firmar o acordo de colaboração premiada com a Polícia Federal, mais especificamente com a força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba. Vale lembrar que o petista se encontrava em uma ala da prisão e que permanecia aproximadamente vinte e duas horas trancafiado em uma cela e somente lhe era permitido sair para o seu banho de sol diário e manter conversas com seus advogados.

Entretanto, após dar início ao seu processo de negociação para um acordo de colaboração premiada, há pouco mais de um ano, o ex-ministro da Fazenda petista foi transferido para um espaço em que estaria convivendo livremente com outros delatores da força-tarefa da Lava Jato.

Atualmente, a cela em que está detido é aberta durante os períodos da manhã e somente é fechada no final da tarde. Em sua cela, Palocci tem direito de fazer uso de uma televisão e de geladeira. Além disso, o petista pode circular durante o dia pelo corredor e ter todo o acesso ao pátio do banho de sol.

Por meio das regalias oferecidas, já que o mesmo está colaborando com a Polícia Federal, Palocci decidiu criar um pequeno jardim. Ele passa o dia fazendo o cultivo de plantas, como lavanda e alecrim, que são mantidos em pequenos vasinhos que são acomodados em um cantinho do pátio, onde é possível a entrada de sol e chuva. O acordo de colaboração premiada firmado entre Palocci e Policia Federal tende a ser extremamente "explosivo" e envolver diretamente os ex-presidentes da República, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos petistas.