O poder público local de Curitiba-PR voltou a demonstrar imensa preocupação com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, na cidade. O novo temor ocorre por conta do ataque a tiros registrado na madrugada do último sábado contra o acampamento em que estão os apoiadores do PT, aproximadamente 800 metros da sede da Superintendência da Polícia Federal, onde Lula está preso.

Segundo as autoridades, um indivíduo a pé efetuou disparos contra o acampamento e feriu um militante no pescoço, que teve de ser internado em um hospital próximo - ele não corre risco de morte segundo as últimas atualizações médicas.

Após o ocorrido, a Procuradoria-Geral da cidade fez um novo pedido à Justiça para que Lula [VIDEO] seja transferido.

Antes, no dia 13, a prefeitura já havia feito solicitação similar sob a alegação de que a presença do ex-presidente estaria afetando a rotina de moradores e até mesmo de funcionários da Polícia Federal. O primeiro pedido segue aguardando decisão judicial.

Preso desde o dia 7, Lula [VIDEO] tem recebido apoio de militantes acampados no acampamento "Marisa Letícia". Na data de sua prisão, a senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmann garantiu que a vigília seguiria até que Lula fosse solto.