Se depender do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO] Gilmar Mendes, um dos casos mais emblemáticos e espinhosos de corrupção, em se tratando da situação do ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pode se encerrar o mais breve possível. Já há muito tempo o magistrado da Suprema Corte vem atuando de modo extremamente favorável às pretensões do ex-mandatário petista.

A situação criminal de Lula tende a mudar e o ex-presidente poderá num determinado momento, passar muito menos tempo na prisão do que a determinação estabelecida pela Justiça Federal relacionada ao processo do caso do apartamento tríplex do Guarujá (SP), que culminou na condenação do petista a 12 anos e um mês de cadeia em regime fechado.

Vale ressaltar que o ex-presidente Lula foi preso no âmbito da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea do Brasil e uma das maiores operações já realizadas em todo o mundo, a Lava Jato. A ação contra em primeira instância foi conduzida pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Gestos de Gilmar Mendes para 'soltar' Lula da prisão da Lava Jato

O ministro Gilmar Mendes reagiu ironicamente ao ser indagado a respeito de sua mudança de posicionamento em relação à manutenção da execução provisória de pena, após esgotados todos os recursos judiciais em tribunais de segunda instância. O ministro da mais alta instância do Poder Judiciário brasileiro mudou o seu entendimento anterior e acabou votando favoravelmente à concessão de um habeas corpus preventivo impetrado pela defesa do ex-presidente Lula, no último dia 4 de abril.

Naquela ocasião, o voto de Mendes foi vencido por um placar apertado de seis votos a cinco no Plenário da Corte pela rejeição da medida judicial. Entretanto, vale ressaltar que Gilmar Mendes, num gesto carregado de ironias, afirmou que seu gabinete na Suprema Corte brasileira acabou se tornando "um pátio dos milagres dos petistas".

Isso porque o mesmo magistrado teria alterado seu posicionamento sobre a prisão em segundo grau. Durante um evento realizado pela revista "Veja" em São Paulo, Mendes disse que se as pessoas ali presentes no evento quiserem encontrar um petista nos dias atuais, terão que se dirigir ao seu gabinete, já que o pessoal tem brincado que ali seria o “pátio dos milagres dos petistas”.

Ao ser questionado durante a realização do evento quais seriam os motivos que o fizeram mudar de entendimento sobre a prisão em segunda instância, Mendes afirmou que teria deixado de concordar com a execução da pena a partir do momento em que os tribunais passaram a prisão sem nenhum tipo de ressalva.

Já em relação ao caso de condenação de Lula, Gilmar Mendes afirmou que existiria a possibilidade de redução de pena do ex-mandatário petista, já que, segundo o ministro, haveria um questionamento no STF se Lula teria cometido um ou dois crimes, se seria corrupção e lavagem de dinheiro ou se a lavagem de dinheiro estaria embutida na corrupção.