Rival do presidente Michel Temer (MDB), o senador Renan Calheiros, do Alagoas, tenta reunir seus correligionários no partido para esvaziar a pré-candidatura de Temer à presidência e estreiar os laços com o PT. Segundo divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo nesta terça-feira, dia 24, a estratégia contaria inclusive com o aval de Lula, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná.

Segundo a publicação, a estratégia de Renan é a de lançar uma pré-candidatura paralela à de Temer dentro do MDB, angariando apoio de diretórios regionais que teriam o apoio de Lula e do PT em deterrminadas regiões do país.

Publicidade
Publicidade

Como argumento, Calheiros afirma que o partido não pode depender de Temer, cuja popularidade é baixa e o governo tem sofrido com escândalos.

Entre os emedebistas que podem abraçar a estratégia de Renan e criar uma divisão no partido contra Temer estão nomes como o senador Eduardo Braga, do Amazonas, que foi ministro do governo de Dilma Rousseff; e o senador Jader Barbalho, do Pará.

Outros senadores que podem embarcar na ideia articulada por Calheiros são Eunício Oliveira, do Ceará, que foi Ministro das Comunicações de Lula; e Roberto Requião, do Paraná, que recentemente tem disparado críticas abertas contra Temer em declarações e vídeis postados em suas redes sociais.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo